loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Taça Portugal: Benfica nos 'oitavos' com golo de Luisão no prolongamento

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

Um golo de Luisão no prolongamento deu hoje a vitória ao Benfica no dérbi com o Sporting por 4-3, no Estádio da Luz, em Lisboa, e colocou os “encarnados” nos oitavos de final da Taça de Portugal de futebol.

Numa primeira parte de "loucos", os "encarnados" saíram para o intervalo a vencer por 3-1, graças a três golos de Cardozo (12, 42 e 45 minutos), sendo que, pelo meio, Diego Capel ainda empatou as contas (37), mas a contundente resposta "leonina" chegaria no segundo tempo, por intermédio de Maurício (62) e Slimani (90+2), que obrigaram ao prolongamento, decidido na cabeçada fortuita do "capitão" benfiquista e no erro do "capitão" sportinguista (97).

O Benfica entrou praticamente com o mesmo "onze" que defrontou o Olympiacos a meio da semana, registando-se apenas a entrada de André Almeida para a lateral direita, em detrimento do uruguaio Maxi Pereira, enquanto Cardozo recuperou da lesão contraída na Grécia e foi lançado por Jorge Jesus, que manteve a aposta em Sílvio e Rúben Amorim.

No lado oposto, Leonardo Jardim operou quatro alterações para o segundo dérbi da época, chamando Iván Piris, Maurício, André Martins e Wilson Eduardo à titularidade, para os lugares de Cédric Soares, Eric Dier, Vitor Silva e Carrillo, que haviam alinhado de início frente ao Marítimo.

À semelhança do que ocorreu na deslocação europeia, o técnico benfiquista escalou a sua equipa em “4x3x3” - o tal sistema que, segundo o próprio, é o mais fácil de anular - e a aposta revelou-se certeira no primeiro tempo, já que o Benfica surgiu muito mais equilibrado defensivamente, com Enzo Pérez e Rúben Amorim a pressionarem a zona de construção do Sporting e a protegerem o raio de ação de Matic.

De resto, durante largo período do primeiro tempo, viram-se duas equipas muito "amarradas" taticamente e que só se libertavam graças à qualidade técnica das linhas ofensivas. Dessa forma, não seria de estranhar que o maior lance de perigo surgisse numa bola parada, em que Cardozo enganou toda a barreira "leonina" e bateu Rui Patrício, na marcação de um livre.

Sem hipóteses de reação no tento inaugural, o guardião visitante viria a negar, pouco depois, as intenções do "Tacuara", sendo que a resposta sportinguista surgiria por Wilson Eduardo, num remate desenquadrado, naquela que seria a antecâmara da igualdade, construída, inicialmente, por Montero e finalizada por Diego Capel, que respondeu da melhor forma ao cruzamento de Wilson Eduardo.

No entanto, cinco minutos volvidos, Cardozo deu nova vantagem ao Benfica, numa jogada quase tirada a "papel químico" do golo "leonino", desta feita com Gaitán a descobrir o paraguaio solto para o cabeceamento certeiro ao segundo poste.

Ainda a formação de Alvalade se recompunha do tento sofrido e já o número sete "encarnado" desferia novo "golpe", em cima do descanso, construindo uma margem que se perspetivava confortável para os restantes 45 minutos, algo que viria a ser contrariado pelo conjunto "verde e branco".

A vantagem aparentemente segura, fazia o Benfica controlar a posse de bola na etapa complementar, mas as intenções das "águias" acabariam por ser anuladas por Maurício, que colocou a "nu" as fragilidades benfiquistas nas bolas paradas e relançou o Sporting na partida.

Com o apito final cada vez mais perto, Rui Patrício evitou o quarto de Cardozo e, depois de ver o poste roubar-lhe o protagonismo, o recém-entrado Slimani operou um "golpe de teatro" na Luz e empatou a contenda, no tempo de compensação, prolongando um "dérbi" cheio de emoção por mais meia hora.

O prolongamento obedeceu aos anteriores 90 minutos e foi possível ver duas equipas em busca do golo do triunfo, que chegaria num lance inacreditavelmente "oferecido" por Rui Patrício: Luisão desviou a com a cabeça, quando já estava no chão, e o guardião "leonino" deixou "fugir" a igualdade por entre as pernas.

Naquele que terá sido o mais emocionante dérbi nos últimos anos, houve ainda tempo para Ivan Cavaleiro e André Gomes ficarem muito perto de garantir a segurança no marcador, ao mesmo tempo que Slimani ficava a poucos centímetros de levar o encontro para as grandes penalidades.

Programa da jornada:

Sábado, 9 de Novembro de 2013
Ribeirão - Penafiel, 0 - 2
Cova Piedade - Gil Vicente, 3 - 4 g.p
Arouca - Desp. Chaves, 2 - 0
Benfica - Sporting, 4 - 3 a.p

Domingo, 10 de Novembro de 2013
Camacha - Atlético, 1 - 2 a.p
Académica - Ac. Viseu, 4 - 3 g.p
Marítimo - AD Oliveirense, 3 - 0
Famalicão - Estoril, 0 - 1 a.p
Rio Ave - Sertanense, 4 - 2
V. Setúbal - Santa Maria FC, 2 - 1
Olhanense - Sp. Braga, 1 - 3
V. Guimarães - FC Porto, 0 - 2

Domingo, 17 de Novembro de 2013
Fafe - Desp. Aves, 1 - 2
Tondela - Paços Ferreira, 0 - 1

Quarta-feira, 4 de Dezembro de 2013
Sp. Covilhã - Leixões, 1 - 2
Beira-Mar - Feirense, 3 - 2

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página