loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Faleceu António Barros, antigo jogador do Benfica e internacional português

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem tem o adversário mais acessível nas competições europeias?

Nasceu na cidade do Porto a 1949, e foi no Benfica que viveu os melhores anos da sua carreira, sagrando-se campeão nacional por quatro ocasiões. Em campo, era conhecido pela intensidade e agressividade que colocava em cada lance, que fizeram dele um das referências dos «encarnados» na década de 70.
Faleceu António Barros, antigo jogador do Benfica e internacional português

Formado no Leixões, a sua chamada ao plantel principal em 1968 não surpreendeu ninguém. A equipa de Matosinhos era conhecida na altura por promover jovens dos escalões de formação aos grandes palcos nacionais. Foi José Águas, ex-glória benfiquista, que deu um voto de confiança a Barros, que se destacou nas duas épocas seguintes com a camisola dos «bébes do mar».

Em 1970, Barros viajou para Lisboa, para assinar com o Benfica, onde permaneceu durante quase toda a década de 70.

Na primeira época, Barros jogou pouco, mas sagrou-se campeão nacional pela primeira vez com as «águias». Na época seguinte, a baixa utilização manteve-se, acabando por ser emprestado no final da temporada ao União de Coimbra, clube da II Divisão. Neste ano, a equipa de Coimbra subiu à I Liga, e Barros foi uma das principais figuras do clube.

No ano seguinte, voltou ao Benfica. Com mais experiência e maturidade, começou a jogar com mais regularidade, e em 1974/1975 foi titular durante quase toda a época, marcou dois golos no campeonato e ajudou o Benfica a conquistar mais um título de campeão. Mas a história de conquistas do jogador não terminaria aqui. No ano seguinte, Mário Wilson confirmou a aposta no jogador e o Benfica sagrou-se bi-campeão nacional. Barros vivia o melhor momento da sua carreira. Titular indiscutível no Benfica e presenças na seleção nacional, faziam do jogador uma das grandes referências do clube «encarnado».

Na época seguinte, o Benfica foi tri-campeão, mas Barros perdeu espaço na equipa. Permaneceu nas «águias» até 1978, ano em que rumou ao Boavista, e onde permaneceu durante uma época. Regressou ao ativo em 1982, para jogar no Portimonense, e a última época da sua carreira foi ao serviço do Estoril Praia, clube onde se retirou, no ano de 1984.

Para trás, ficam as épocas de glória de «águia» ao peito, os quatro campeonatos nacionais que alcançou e o espírito de luta e sacrifício que fizeram dele um dos grandes nomes do Benfica nos anos 70.

Siga-nos no Facebook, no Google+ e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler