loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

LC: Gabriel diz que papéis inverteram-se e o FC Porto é favorito frente à Roma

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem tem o adversário mais acessível nas competições europeias?

O ex-futebolista Gabriel, que defrontou a Roma para a Taça das Taças de 1981/82, numa eliminatória que o FC Porto afastou os italianos, considera que agora os papéis se inverteram e os ‘dragões’ são favoritos.
LC: Gabriel diz que papéis inverteram-se e o FC Porto é favorito frente à Roma

“A Roma tinha uma equipa forte e era um nome sonante na Europa e o FC Porto vinha de uma fase em que esteve muitos anos sem ganhar títulos”, contextualizou à agência Lusa Gabriel, de 64 anos, que presentemente exerce a profissão de taxista.

Na altura, o FC Porto não era favorito, mas eliminou a Roma do brasileiro Falcão, de Carlo Ancelotti e de Bruno Conti, com um triunfo na primeira mão por 2-0 no estádio do Dragão, com golos do irlandês Mikey Walsh e Costa, e um empate a 0-0 na segunda, em Itália.

“Agora, inverteram-se os papéis. À partida, o FC Porto neste momento, não só pelo campeonato que está a fazer como pelo seu passado recente, é favorito, mas são sempre jogos complicados”, explicou Gabriel.

O antigo defesa, que jogava a líbero, recorda que o FC Porto fez dois bons jogos frente à Roma, nas Antas e em Itália, e aponta “o espírito de entreajuda entre todos os setores” como a base do sucesso para eliminar a forte equipa italiana em 1981/82.

“Quase por instinto, tínhamos um cuidado maior com todos os nomes sonantes [da equipa da Roma], mas sem grandes preocupações com marcações individuais, até porque eram todos grandes jogadores”, acrescentou.

A ausência dos avançados Vincent Aboubakar e Moussa Marega, por lesão, foi também abordada por Gabriel, que questionou a necessidade de se repensar um bocadinho o futebol, que, no seu entender, tem uma sobrecarga grande de jogos.

“As pessoas, às vezes, não têm a noção e pensam que por ser profissional, o futebolista tem que jogar de manhã, à tarde e à noite, e estar sempre operacional”, defendeu Gabriel.

A sobrecarga de jogos, ainda de acordo com o ex-futebolista dos ‘dragões’, é a principal razão da quebra física e lesões de muitos jogadores, principalmente ao nível muscular.

Além de representar o FC Porto (1974/83), Gabriel jogou pelo Sporting de Espinho (1972/74), Sporting (1983/87), Sporting da Covilhã (1987/88), Ermesinde (1988/89) e Torres Novas (1991/94).

Siga-nos no Facebook, no Google+ e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler