loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

José Mota: «Este jogo não é decisivo, mas era muito importante»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem tem o calendário mais difícil até final da temporada?

Declarações de José Mota, treinador do Desportivo de Chaves, no final do jogo com o Belenenses (2-2), da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.
José Mota: «Este jogo não é decisivo, mas era muito importante»

«Entrámos a marcar, mas muitas das vezes temos de perceber que o futebol se vive intensamente e estes momentos são muito difíceis. Quando se consegue um golo,espera-se que haja maior tranquilidade, segurança, concentração, circulação e posse de bola, mas, derivado ao lugar que ocupamos, o golo criou no subconsciente alguma intranquilidade. Não fomos a equipa organizada que pretendíamos com ou sem bola.

O golo do adversário e a expulsão trouxe-nos mais intranquilidade, mas esta equipa já provou que mesmo com um jogador a menos consegue ir buscar forças para contrariar os resultados. Retificámos na segunda parte, em 4x4x1 com a entrada do William, o 1-2 tirou-nos algum discernimento, mas veio a reação dos atletas, que foi forte, e nos ajudou a inverter esta situação.

É muito fácil expulsar jogadores ao Chaves, pois não vejo uma equipa muito agressiva, muito pelo contrário, e a primeira expulsão não posso aceitar, porque há uma falta antes sobre o Luther e a segunda é exagerada. Costumo dizer que não percebo nada de futebol, e todos os dias estamos a aprender, e eu, com 400 jogos na I Liga feitos hoje, não percebo nada.

Este jogo não é decisivo, mas era muito importante. Uma coisa é certa, nós estamos aqui convictos que tudo vamos fazer para que o Chaves não desça, mesmo contra todas as contrariedades. Vamos ter atitude, alma e caráter, pois as pessoas de Trás-os-Montes são assim e nós também queremos ser».

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler