loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Um milhar festejou título do Benfica na rotunda da Boavista no Porto

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem precisa de mais reforços para a próxima época?

"O campeão voltou" ouviu-se na rotunda da Boavista, no Porto, onde um milhar de adeptos do Benfica festejou o 37.º título de campeão nacional, numa festa que começou tímida, mas, regada a cerveja.
Um milhar festejou título do Benfica na rotunda da Boavista no Porto

Os adeptos demoraram a chegar à rotunda da Boavista e só mesmo quando as rádios anunciavam o fim do jogo no Estádio da Luz, em Lisboa, que o Benfica venceu por 4-1 ao Santa Clara é que se ouviram os primeiros gritos e as primeiras buzinadelas, se viram os primeiros abraços e começaram a ser desenroladas tarjas.

"Obrigado Bruno Lage" e "Benfica dá-me o 38" são algumas das frases que se leram nas faixas.

Pedro Matos, que esteve no Porto numa despedida de solteiro, foi ‘engolido' pela multidão junto à Casa da Música. Aos 28 anos, este aveirense admite que não começou cedo a festejar títulos, mostrando-se "feliz" por "finalmente" o clube ter "encarreirado".

"No início a coisa não estava fácil, quase não festejava, mas ao longo dos anos foi-se composto", disse o adepto benfiquista, que elege o defesa Ferro e os avançados Rafa e Seferovic, a par do treinador Bruno Lage como os grandes obreiros desta conquista.

"Em janeiro ou no Natal, ninguém esconde que não se esperava que acontecesse, mas as coisas correram bem. A equipa uniu-se à volta do mesmo objetivo. O treinador novo tem todo o mérito. O Bruno Lage fez um trabalho excecional. E para muitos benfiquistas que estavam descrentes, tudo mudou. Os jogadores tiveram uma atitude incrível", concluiu.

Já para Fátima Matos, "portuense, mas não portista", como repete à agência Lusa, o avançado brasileiro Jonas e o "miúdo", referindo-se a João Félix, são os "preferidos" porque "seja dentro ou fora do campo sentem a camisola".

"Estou muito feliz, claro. Feliz porque este é o amor da minha vida a seguir ao meu marido. Estou feliz, estou realizada e sem palavras. Nunca desisti", referiu Fátima, apontando para o joelho que hoje nem lhe dói.

"Eu ando manca e hoje nada, não me dói nada", grita de bandeira vermelha e branca numa mão e buzina de plástico na outra.

E eis que a comitiva feminina que enverga a faixa "seja onde for, Benfica!" e as placas com a inscrição "Praça do Marquês do Pombal" volta a ‘parar' o trânsito da rotunda da Boavista e regressam os gritos: "Mostra a tua raça, querer e ambição. Nós só queremos o Benfica campeão".

Na estrada, carros apinhados de benfiquistas com cachecóis de fora e muita cerveja a regar a festa.

Pinheiro Marinho, de águia pintada na cara, diz à Lusa que lhe é impossível fazer a festa em casa alheia sem falar do rival, o FC Porto que hoje, na derradeira jornada, derrotou no Estádio do Dragão, no Porto, o Sporting por 2-1, mas não conseguiu revalidar o título.

"Eles foram beneficiados o ano inteiro. O campeonato [para o Benfica] é mais do que justo. Foi um campeonato feito com suor e lágrimas. Não há ninguém especial. Há um que pegou na equipa e estava a sete pontos do FC Porto e conseguiu erguer o Benfica, mas são todos especiais", diz o matosinhense que pede o 38.º título "já na próxima época".

O Benfica assegurou o seu 37.º título de campeão português de futebol, ao golear em casa o Santa Clara por 4-1, em jogo da 34.ª e última jornada da competição, que terminou com 87 pontos, mais dois do que o FC Porto.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler