loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: FC Porto desinspirado inicia campeonato com derrota em Barcelos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Quem precisa de mais reforços para a próxima época?

O Gil Vicente regressou hoje à I Liga com uma vitória sobre o vice-campeão FC Porto, por 2-1, em jogo da primeira jornada da prova que teve emoção, surpresa e a intervenção do videoárbitro.
Crónica: FC Porto desinspirado inicia campeonato com derrota em Barcelos

No Estádio Cidade de Barcelos, os minhotos, que foram esta temporada reintegrados na I Liga, na sequência do 'caso Mateus', há 13 anos, juntaram o resultado à exibição e somaram os primeiros três pontos do campeonato, graças aos tentos do extremo brasileiro Lourency, aos 60, e do médio búlgaro Bozhidar Kraev, aos 77.

Pelo meio, o vice-campeão nacional alcançou o empate por intermédio do hoje capitão Alex Telles, aos 73 minutos, na conversão de uma grande penalidade que foi confirmada com recurso às imagens do videoárbitro (VAR).

A meio da eliminatória com o Krasnodar, da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, Sérgio Conceição promoveu três alterações para a estreia na edição 2019/20 da I Liga, que surgia três dias depois da visita à Rússia, onde os 'dragões' venceram por 1-0.

Zé Luís e Bruno Costa substituíram Marega e Danilo, sendo que o capitão dos ‘dragões' passou de titular a não convocado, enquanto Otávio incumbiu-se de replicar o trabalho multifacetado de Romário Baró entre a ala direita e o miolo.

Do lado gilista, Vítor Oliveira incluiu dez reforços no ‘onze’ e operou duas trocas em relação à vitória sobre o Desportivo das Aves (3-2), que ditou o apuramento dos minhotos para a fase de grupos da Taça da Liga, fazendo entrar o guarda-redes Denis e o central Edwin Vente (um dos quatro ‘sobreviventes' da última época), em detrimento de Wellington e Erick.

Apesar do domínio territorial, os portistas revelaram lentidão e pouca criatividade na hora de desmontar a organização local, à exceção dos avisos iniciais deixados por Zé Luís, aos seis minutos, num cabeceamento a rasar o poste, e Corona, aos 25, que apareceu isolado na área e rematou ao lado.

Com um futebol mais destemido e esclarecido, vocacionado para rápidas saídas em contra-ataque, o Gil Vicente, que estragou pela última vez um início de campeonato aos ‘dragões', na temporada 2012/13, acabou por ser a equipa que mais se aproximou do golo no primeiro tempo, desperdiçando uma dupla oportunidade flagrante.

Ao minuto 28, na sequência de um livre batido por Arthur, o internacional argentino, chegado a Portugal há uma semana e em estreia no campeonato português, mostrou estar à altura da sucessão de Iker Casillas, ao travar, primeiro, um cabeceamento de Sandro Lima e, logo a seguir, a recarga de Rodrigo, num momento que conjugou mestria, espetacularidade e instinto.

Os minhotos ganharam fôlego, mostrando-se atrevidos e confortáveis com bola, mas não deixaram de concentrar mais esforços em anular quaisquer intenções dos azuis e brancos no espaço central e nos corredores, algo que não se verificou aos 36, quando Sérgio Oliveira amorteceu um cruzamento da esquerda para Soares que, com a baliza à frente, fez um passe em forma de remate para Denis.

Perto do intervalo, o árbitro Nuno Almeida foi consultar o VAR e reverteu um penálti inicialmente assinalado a favor do FC Porto, por alegado ‘agarrão’ de Alex Pinto a Sérgio Oliveira na área gilista.

O vice-campeão nacional voltou a entrar mais forte no reatamento, com Soares a falhar por duas vezes, aos 49 e aos 57, a emenda à boca da baliza, antes de ser substituído por Marega, que aqueceu as luvas de Denis aos 59. Os ‘dragões’ mostravam as suas intenções na busca pelo golo, mas seriam apanhados em contrapé em cima da hora de jogo e pagaram caro a fatura.

O avançado maliano perdeu a bola em zona proibida, João Afonso recuperou o esférico e levantou a cabeça, lançando a corrida de Lourency, que não perdoou na cara de Marchesín e assinou o segundo remate certeiro com a camisola do Gil Vicente, depois de ter faturado para a Taça da Liga.

Sem acentuar as investidas nas imediações da área minhota, o FC Porto alcançou a igualdade treze minutos depois, em novo lance que motivou a intervenção do VAR, com Nuno Almeida a punir um alegado corte com o braço de Rodrigo na área a remate do recém-entrado Luis Díaz. O capitão Alex Telles avançou para a cobrança do castigo máximo e restabeleceu a igualdade.

A igualdade só durou três minutos porque o irrequieto Lourency soube aproveitar o espaço concedido pela defensiva azul e branca e arriscar um cruzamento-remate da direita, que tabelou num oponente e sobrou para Bozhidar Kraev que, entre os centrais e na área, rodou e carimbou o 2-1, sem hipótese de defesa para Marchesín.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 9 de Agosto de 2019
Portimonense - Belenenses SAD, 0 - 0

Sábado, 10 de Agosto de 2019
Santa Clara - Famalicão, 0 - 2
Gil Vicente - FC Porto, 2 - 1
Benfica - Paços Ferreira, 5 - 0

Domingo, 11 de Agosto de 2019
Boavista - Desp. Aves, 2 - 1
Marítimo - Sporting, 1 - 1
Rio Ave - V. Guimarães, ADIA
Sp. Braga - Moreirense, 3 - 1

Segunda-feira, 12 de Agosto de 2019
V. Setúbal - Tondela, 0 - 0

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler