loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Ricardo Sá Pinto: «Sabíamos que era importante marcar e não sofrer golos»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Acha que Frederico Varandas tomou a decisão certa ao despedir Marcel Keizer?

Declarações de Ricardo Sá Pinto após o jogo da primeira mão do 'play-off' de acesso à Liga Europa de futebol entre Sporting de Braga e Spartak de Moscovo (1-0), hoje disputado em Braga.
Ricardo Sá Pinto: «Sabíamos que era importante marcar e não sofrer golos»

"Na primeira parte, tivemos ascendente sobre o adversário, mas não soubemos ter a qualidade de jogo e criar as oportunidades que pretendíamos. As equipas têm muitos jogos acumulados e sabíamos que era importante entrar bem, marcar e não sofrer golos.

O Spartak jogou de forma muito simples, muito pouco elaborada, com um jogo direto dos centrais para o ponta de lança ou para os alas, jogou muito no nosso erro. Aqui ou acolá foram chegando à nossa baliza, porque também têm qualidade, ainda agora ganharam ao CSKA de forma categórica, além de terem outro orçamento. Orçamentos não ganham jogos? Mas ajudam muito.

Na segunda parte, entrámos mais confiantes, com mais atitude e mentalidade para desequilibrar o adversário e fazer golos. A nossa circulação de bola estava algo lenta e previsível. Fizemos só um golo, merecíamos ter feito mais. Estou satisfeito com o resultado, mas peca por escasso. O objetivo era ganhar, marcar golos e não sofrer.

(Troca de Fransérgio por João Novais) Estávamos à espera de ter mais posse, o Fransérgio é um belíssimo jogador, tem capacidade de jogar curto, como também uma chegada diferente sem bola, hoje não estava a fazer um jogo tão conseguido, não porque não tenha feito o possível, tentou, mas às vezes as coisas não saem. Tentei dar mais posse e controle à equipa com o João [Novais], que é um médio também com muita qualidade. A equipa teve uma segunda parte muito boa, pecámos na última decisão, que é onde acho que a equipa pode crescer.

Está tudo em aberto, falta o segundo jogo deste 'play-off', foi um bom resultado, mas o adversário tem valor e em casa são fortes, têm um público que os apoia e dinamiza, cria um ambiente difícil para nós, espero que o árbitro de lá faça um jogo bom. O Spartak vai ser mais audaz, vai subir as linhas, poderá eventualmente expor-se, sim, mas temos que jogar com muita inteligência e com muita alma. Temos que ter a humildade de perceber que vai ser um jogo diferente e difícil, mas sem qualquer receio.

O Pablo estava com o músculo com contratura, apresentou sinais de fadiga e pediu a substituição."

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler