loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

CR1000: Uma carreira 'pautada' ao ritmo dos golos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Frederico Varandas deve pedir a demissão de presidente do Sporting?

O português Cristiano Ronaldo deverá cumprir no domingo o milésimo encontro da sua carreira de futebolista profissional, num trajeto ‘pautado’ pelos golos, muitos golos, numa contabilidade que já ultrapassou as sete centenas.
CR1000: Uma carreira 'pautada' ao ritmo dos golos

Feitas as contas, o ‘capitão’ da seleção lusa marca mais de sete golos em cada 10 jogos, num trajeto em que só se assumiu, em definitivo, como goleador a partir da sua nona temporada, a segunda ao serviço do Real Madrid.

Entre 2002/03 e 2005/06, as suas primeiras quatro temporadas, uma pelo Sporting e três pelo Manchester United, marcou de forma esporádica (50 golos, em 226 jogos), sem grande sequência, sendo, como extremo, mais um assistente, um criador de desequilíbrios.

Nas quatro épocas seguintes (2006/07 a 2009/10), as últimas três em Inglaterra e a primeira em Espanha, a sua veia goleadora começou a aparecer e o seu número de golos quase triplicou (135), em idêntico número de encontros (228), com destaque para os 46 tentos de 2007/08, época da primeira ‘Bota de Ouro’.

A ‘explosão’ goleadora de Ronaldo aconteceu, no entanto, apenas a partir de 2010/11: foi derivando mais para o centro do terreno, assumiu a marcação de grandes penalidades e a média de golos disparou para um por encontro.

O internacional luso transformou-se num temível goleador, a um nível que só o argentino Lionel Messi logrou responder, somando, em oito temporadas (2010/11 a 2017/18), a ‘brutalidade’ de 480 tentos, em 481 encontros.

Neste período, Ronaldo ‘entreteve-se’ a quebrar recordes atrás de recordes, transformando-se, por exemplo, no melhor marcador da história do Real Madrid, da seleção portuguesa e da Liga dos Campeões, sendo o ‘rei’ da ‘Champions’ em seis épocas seguidas.

Com a passagem para a Juventus, em 2018/19, não conseguiu manter os registos alcançados ao serviço dos ‘merengues’, mas continua a marcar com regularidade, tendo na presente época ultrapassado os 700 tentos na carreira.

Em vésperas do jogo 1.000, totaliza mais precisamente 709 golos, 101 dos quais ao serviço de Portugal: 95 pela seleção principal, dois pela olímpica, um deles em Atenas2004, três pelos sub-21 e um pelos sub-20.

Quantos aos clubes, marcou cinco pelo Sporting, 118 pelo Manchester United, 451 pelo Real Madrid, em apenas 438 encontros, e já leva 34 ao serviço da Juventus.

Ronaldo marcou quase metade dos seus golos na Liga espanhola (312), sendo o segundo melhor marcador da história da prova, apenas atrás de Messi, e conta ainda 128 na ‘Champions’, mais 15 do que o argentino, e 84 na Premier League.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Na Primeira Página

Pode gostar de ler