loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Portugal desperdiça penálti e perde com Bélgica na Algarve Cup

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Acha que Rúben Amorim é o homem certo para treinar a equipa do Sporting?

A seleção portuguesa de futebol feminino sofreu hoje a segunda derrota na 27.ª edição da Algarve Cup, ao perder com a Bélgica pela margem mínima (1-0), em encontro disputado no Estádio Municipal da Bela Vista, no Parchal, Lagoa.
Crónica: Portugal desperdiça penálti e perde com Bélgica na Algarve Cup

Tine de Caigny assinou o golo belga aos 65 minutos, culminando uma hora em que a sua equipa esteve por cima, e a reação das portuguesas, que na ronda inaugural tinham sido derrotadas pela Itália (1-0), só não culminou no empate porque a ‘capitã’ Cláudia Neto desperdiçou uma grande penalidade, permitindo a defesa da guarda-redes adversária (84).

Portugal, que sofreu a quarta derrota em oito encontros no historial com a Bélgica, vai defrontar a Suécia na terça-feira, no jogo de atribuição dos sétimo e oitavo lugares, em local (Estádio Algarve ou Estádio Municipal de Lagos) e hora a definir.

Em relação à derrota frente à Itália (2-1), na ronda inaugural, Francisco Neto operou seis alterações no 'onze', com destaque para a estreia absoluta de Andreia Jacinto, centrocampista de 17 anos que alinha no Sporting.

A primeira parte teve maior domínio da Bélgica, apesar de Portugal ter sido a primeira equipa a criar perigo, logo aos dois minutos, num cruzamento de Diana Silva para o segundo poste, ao qual correspondeu Carolina Mendes com um cabeceamento a centímetros do poste.

Pouco depois, aos cinco minutos, Tine de Caigny teve uma excelente oportunidade, com um remate de cabeça que obrigou Patrícia Morais a desviar para canto com grande defesa.

A Bélgica mostrou-se mais forte na pressão, originando muitas perdas de bola das portuguesas, e na verticalidade com que atacou a baliza de Patrícia Morais, e esteve perto do golo aos 41, quando Dolores Silva evitou o remate de Lola Wajnblum em cima da linha da baliza após alguma passividade da defesa lusa, e no minuto seguinte, com um cabeceamento torto de Janice Cayman em excelente posição.

O selecionador Francisco Neto mexeu no setor defensivo português ao intervalo, com duas alterações, mas o adversário continuou a protagonizar os principais lances de perigo no arranque do segundo tempo.

Depois das tentativas de Chloe Vande Velde (53), por cima, após erro de Patrícia Morais, e de Tessa Wullaert (62), foi sem surpresa que as belgas chegaram ao golo, por Tine de Caigny (65), que dentro da área, sem marcação, teve tempo para faturar com um remate em jeito.

Até aí mostrando algumas dificuldades em ligar o jogo ofensivo, Portugal melhorou na agressividade ofensiva e reagiu ao golo adversário também com muito ‘coração’, não conseguindo, porém, ultrapassar a guardiã belga, Justine Odeurs, que somou três grandes defesas até ao apito final.

Além de, aos 84, com uma grande estirada, ter travado a grande penalidade marcada por Cláudia Neto, por mão de Justine Vanhaevermaet, Odeurs defendeu ainda os cabeceamentos com 'selo' de golo de Carole Costa (70) e Vanessa Marques (90+4).

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página