loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Covid-19: Desportivo das Aves faculta linha de saúde aos sócios e adeptos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O Desportivo das Aves vai criar uma linha de saúde para responder às necessidades médicas dos seus sócios e adeptos durante a pandemia da covid-19, informou hoje o último classificado da I Liga de futebol.
Covid-19: Desportivo das Aves faculta linha de saúde aos sócios e adeptos

“Numa fase em que o recurso ao Serviço Nacional de Saúde se encontra dificultado, os médicos do Clube Desportivo das Aves, André Faria Couto e Filipe Puga, estarão ao dispor dos sócios e adeptos para renovação de medicação crónica e esclarecimento de qualquer dúvida”, pode ler-se numa nota emitida nas redes sociais dos nortenhos.

Os dois profissionais de saúde podem ser contactados através de e-mail e por via telefónica, sendo André Faria Couto especializado em Ortopedia e Traumatologia ([email protected] e 961 030 340), ao passo que Filipe Puga lida com Medicina Geral e Familiar ([email protected] e 914 015 623).​​​​​​​

A I Liga está suspensa por tempo indefinido e o Desportivo das Aves entra para as 10 jornadas finais na 18.ª e última posição, com 13 pontos, nove abaixo da ‘linha de água’, enquanto lida com a urgência de regularizar os salários em atraso até quinta-feira.

A SAD liderada pelo chinês Wei Zhao falhou o pagamento de janeiro e fevereiro à maioria do plantel principal e da equipa sub-23, situação que a sociedade veio justificar em 22 de março com a paralisação da economia chinesa, motivada pela pandemia da covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 148.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 140 mortes e 6.408 casos de infeções confirmadas. Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página