loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Covid-19: Parlamento moçambicano ratifica prolongamento do estado de emergência

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

A Assembleia da República de Moçambique ratificou hoje o decreto que aprova o prolongamento do estado de emergência por 30 dias, para a prevenção da pandemia provocada pelo novo coronavírus, com votos a favor das três bancadas parlamentares.
Covid-19: Parlamento moçambicano ratifica prolongamento do estado de emergência

O decreto, submetido pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, determina que a prorrogação do estado de emergência tem efeitos a partir de 01 de maio, um dia após o fim do primeiro estado de emergência, que entrou em vigor no dia 01 deste mês.

O documento foi aprovado com os votos dos 217 deputados presentes na sessão de hoje, dos 250 que compõem a Assembleia da República.

A ratificação segue-se à declaração do prolongamento do estado de emergência pelo Presidente da República na quarta-feira.

A ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, disse, na apresentação do decreto no parlamento, que a medida é importante para que o país possa travar a propagação da pandemia da covid-19.

"O aumento do número de casos de transmissão local da covid-19 indica que persistem as razões que fundamentaram a declaração do estado de emergência", afirmou Helena Kida.

A norma hoje aprovada tem oito artigos e mantém todas as medidas constantes da primeira declaração do estado de emergência.

Na vigência do estado de emergência, é suspensa a emissão de vistos de entrada e são cancelados os vistos já emitidos e reforçadas as medidas de quarentena domiciliária, de 14 dias, para todos as pessoas que tenham entrado no país nas últimas duas semanas, para os que estejam a chegar ao país, para os que tenham estado em locais com casos ativos e para todas as pessoas que tenham tido contacto direto com casos confirmados de covid-19.

Estão suspensas as aulas em todas as escolas públicas e privadas, desde o ensino pré-escolar ao universitário, é proibida a realização de eventos públicos e privados, como cultos religiosos, atividades culturais, recreativas, desportivas, políticas, associativas, turísticas e de qualquer outra índole.

Desta medida excetuam-se questões inadiáveis do Estado ou sociais, como cerimónias fúnebres, devendo em todos casos serem adotadas as medidas de prevenção impostas Ministério da Saúde, nomeadamente a redução do número de participantes e o uso de máscaras.

Na vigência do estado de emergência, ficam suspensos todos os prazos processuais e administrativos, incluindo o procedimento disciplinar, e os prazos de prescrição e de caducidade relativos a todos os processos e procedimentos.

É obrigatória a implementação de medidas de prevenção em todas as instituições públicas, privadas e nos transportes coletivos de passageiros.

Fica limitada a circulação interna de pessoas em qualquer parte do território nacional, desde que se verifique o aumento exponencial de casos de contaminação, podendo ser adotado o cerco sanitário.

Moçambique regista oficialmente 76 casos positivos de covid-19, sem mortes.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Cerca de 908 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página