loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19: Cabo Verde pela primeira vez com mais doentes recuperados do que novos casos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

Cabo Verde registou hoje 10 doentes recuperados do novo coronavírus, com dois na Boa Vista e oito na Praia, número pela primeira vez superior aos novos casos confirmados, que foram sete, segundo as autoridades de saúde.
Covid-19: Cabo Verde pela primeira vez com mais doentes recuperados do que novos casos

“Penso que foi um dia bom para Cabo Verde em relação à prevenção e controlo do coronavírus. Pela primeira vez nós temos mais casos recuperados do que casos confirmados”, disse o diretor nacional da Saúde de Cabo Verde, Artur Correia, na conferência de imprensa de ponto de situação diário da doença no arquipélago.

De manhã, o Ministério da Saúde tinha anunciado dois doentes recuperados na Boa Vista, que deixou de ter casos ativos de coronavírus, 63 dias depois do primeiro caso, a 19 de março.

Artur Correia anunciou no encontro com a imprensa mais oito doentes com alta na Praia, passando de 85 para 95 o total no país (26,6%), no dia em que diagnosticou mais sete casos novos.

Com esses recuperados, diminuiu para 256 o número de doentes internados, todos em Santiago, a única ilha agora com casos ativos, a maioria na cidade da Praia (249).

Segundo o diretor nacional de Saúde, o facto de a Boa Vista deixar de ter casos ativos constitui um “grande desafio” para a ilha, e para São Vicente, a outra ilha que registou casos, mas também para todas as outras sem qualquer registo.

“O grande desafio é manter esse status e isso exige um conjunto de reforços que devem ser feitos a nível da vigilância epidemiológica”, salientou o porta-voz do Ministério da Saúde, referindo que as pessoas que saíram dos isolamento na Boa Vista vão ser seguidas, pelo menos, por um período de 14 dias, para se saber a evolução do seu estado de saúde.

Além disso, Artur Correia afirmou que as autoridades de saúde vão continuar a realizar a vigilância epidemiológica à entrada das ilhas, de pessoas provenientes de ilhas com ou sem transmissão da infeção.

Quanto à cidade da Praia, o novo epicentro do vírus no país, o responsável de saúde anunciou o início de uma “intensa atividade” nos bairros, com enfermeiros, médicos, agentes de proteção civil, Forças Armadas e agentes de informação, educação e comunicação.

“Para podermos fazer uma intervenção forte, chamar atenção da população para as ações de prevenção e controlo da doença e testando também, através de testes rápidos, as pessoas que se justificarem para o efeito e identificando eventuais casos positivos”, reforçou.

Em pouco mais de dois meses, Boa Vista deixou de ter casos ativos e a Praia passou a ser o centro da doença, com casos diários, mas Artur Correia explicou que não é uma questão de falhas, mas sim de contexto epidemiológico, que é “complemente diferente”.

A Boa Vista é uma das maiores ilhas de Cabo Verde, mas com fraca densidade populacional, enquanto na Praia a densidade populacional é enorme e as pessoas estão mais concentradas, explicou Artur Correia, dizendo que isso propicia uma maior taxa de transmissão e maior aumento do número de casos.

“Não tem a ver com falhas, são as mesmas medidas que tomamos lá e aqui estão sendo reforçadas. Não há nenhuma estratégia diferente. É o reforço das medidas, num contexto completamente diferente”, continuou a mesma fonte.

Neste momento, a ilha de Santiago é a única que continua em estado de emergência, pelo menos, até 29 de maio, com o diretor nacional de Saúde a afirmar que o objetivo é conter e evitar o “avanço brusco” de casos na capital cabo-verdiana.

“Até certo ponto nós estamos contentes com os resultados que estamos a conseguir, mas conscientes de que é preciso fazer mais, continuar a fazer, mesmo após o estado de emergência”, pediu Correia, relembrando que o período de exceção não elimina o vírus.

Cabo Verde já diagnosticou um acumulado de 356 casos de covid-19, nas ilhas de Santiago (297), Boa Vista (56) e São Vicente (3).

Do total, três resultaram em óbito, 95 foram dados como recuperados, dois foram transferidos para os seus países e o país tem neste momento 256 doentes ativos, e todos na ilha de Santiago.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 328 mil mortos e infetou mais de cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página