loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Covid-19: Cabo Verde perdeu mais de um quarto dos turistas no primeiro trimestre

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

A procura turística em Cabo Verde caiu 26,9% no primeiro trimestre deste ano, face a 2019, para 170.778 hóspedes, devido à pandemia de covid-19, segundo um relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) cabo-verdiano consultado hoje pela Lusa.
Covid-19: Cabo Verde perdeu mais de um quarto dos turistas no primeiro trimestre

De acordo com o relatório sobre movimentação de hóspedes relativo ao primeiro trimestre, as dormidas neste período, face aos três primeiros meses de 2019, também caíram, neste caso 29%, para um total de 996.291.

Os turistas do Reino Unido, acrescenta-se no relatório, “foram os que permaneceram mais tempo em Cabo Verde”, com uma estadia média de 7,5 noites, sendo igualmente o principal país emissor de turistas para o mercado cabo-verdiano (20,7% do total das entradas), à frente da França (13,3%), Alemanha (11,9%) e Países Baixos (11,4%).

O Sal “foi a ilha mais procurada pelos turistas”, representando cerca de 45% das entradas nos estabelecimentos hoteleiros de Cabo Verde, seguida da Boa Vista, com 29,2%, e de Santiago, com 9,9%, refere ainda o INE.

A estadia média, global, em Cabo Verde desceu para 5,6 noites (-0,2 pontos percentuais) e a taxa de ocupação diminuiu para 53%, face aos 60% do primeiro trimestre de 2019.

Devido à pandemia da covid-19, o INE sublinha que a taxa de resposta das unidades hoteleiras ao inquérito “ficou abaixo do normal”, tendo sido necessário estimar resultados nos estabelecimentos encerrados.

Como medida para travar a progressão da covid-19 no arquipélago, o Governo cabo-verdiano suspendeu todos os voos internacionais desde 19 de março e, dez dias depois, as ligações interilhas, restrições que só serão levantadas no final de este mês.

As unidades hoteleiras cabo-verdianas receberam no ano passado 819.308 hóspedes, um aumento de 7% face a 2018, e 5.117.403 dormidas, um crescimento também homólogo de 3,7%, segundo dados anteriores do INE.

O turismo represente cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde.

Apesar destes números, o vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, que é também ministro das Finanças, admitiu anteriormente que o país deverá perder meio milhão de turistas em 2020, quebra superior a 60% face a 2019, além de um corte de 4% no Produto Interno Bruto (PIB), devido à covid-19.

“A economia de Cabo Verde vai perder cerca de 500 mil turistas este ano, em relação a 2019. Com isso, o país vai ter uma redução de cerca de três milhões de dormidas”, afirmou.

Cabo Verde regista um acumulado de 750 casos de covid-19 desde 19 de março. Destes, seis acabaram por morrer - o primeiro dos quais um turista inglês de 62 anos, na ilha da Boa Vista -, mas 301 foram considerados recuperados.

Em África, há 6.464 mortos confirmados e mais de 242 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 431 mil mortos e infetou mais de 7,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página