loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Covid-19: Mais 27 casos em Angola e Huíla junta-se às províncias afetadas

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

Angola registou 27 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, dos quais um na Huíla, que se tornou assim na 14.ª província angolana afetada pela doença, anunciou o secretário de Estado para a Saúde Pública.
Covid-19: Mais 27 casos em Angola e Huíla junta-se às províncias afetadas

Segundo Franco Mufinda, que hoje apresentou os dados no balanço epidemiológico diário, além da Huíla, foi diagnosticado mais um caso no Cuanza Norte (município do Cazengo, que se encontra sob cerca sanitária), sendo os restantes 25 de Luanda.

Os infetados têm entre 1 e 74 anos, sendo 14 de sexo masculino e 13 do sexo feminino.

Foram também dadas como recuperadas duas pessoas.

Franco Mufinda apresentou igualmente a distribuição territorial da covid-19 em Angola: Luanda com 1.700 casos está em fase de transmissão comunitária, Cuanza Norte com 18 casos de transmissão local, Zaire com 14 casos, Cabinda com nove, Bengo e Cuanza Sul com cinco casos, Cunene com três casos importados, Benguela com dois importados, e Uíje, Lunda Norte, Malanje, Bié, Moxico e Huíla todos com um caso importado.

Só quatro províncias não foram ainda afetadas: Namibe, Cuando Cubango, Lunda Sul e Huambo.

No total, Angola diagnosticou 1.762 infeções, das quais 80 resultaram em óbitos, 577 doentes recuperaram e 1.105 estão em fase ativa da doença, dos quais cinco em estado crítico e 21 em estado grave.

O secretário de Estado informou ainda que foi realizado um estudo epidemiológico relativo aos cem casos reportados no domingo, 09 de agosto, que conclui que 30 são trabalhadores do ramo petrolífero em regime de rotação das plataformas do Bloco 3.

Segundo o mesmo responsável foram tomadas medidas de saúde pública com rastreios e testagem, e os infetados já se encontram em Luanda a receber cuidados médicos, estando a ser feito o devido acompanhamento aos contactos destas pessoas.

Nas próximas 48 horas deverá terminar a retirada dos trabalhadores das plataformas.

“Estamos a tomar medidas de desinfeção por áreas e substituição da equipa afetada”, acrescentou Franco Mufinda.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 743 mil mortos e infetou mais de 20,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 23.616 mortos confirmados em mais de um milhão de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de casos e de mortos (4.821 infetados e 83 óbitos), seguindo-se Cabo Verde (2.920 casos e 33 mortos), Moçambique (2.559 casos e 19 mortos), Guiné-Bissau (2.088 casos e 29 mortos), Angola (1.762 infetados e 80 mortos) e São Tomé e Príncipe (878 casos e 15 mortos).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página