loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Liga feminina: Benfica, 'travado' pela pandemia, espera maior competitividade

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O Benfica, ‘travado’ pela pandemia da covid-19 na anterior época do futebol feminino, regressa para 2020/21 com a mesma ambição, numa Liga que espera que seja “ainda mais competitiva”.
Liga feminina: Benfica, 'travado' pela pandemia, espera maior competitividade

“Espero um campeonato mais competitivo, o futebol feminino tem evoluído muito, não só pela qualidade das suas jogadoras, mas também pela qualidade que os treinadores põem nas suas equipas”, perspetivou o técnico benfiquista, Luís Andrade, em declarações à agência Lusa.

O antigo jogador, à frente das ‘águias’ desde a última época, esteve na conquista da Supertaça, mas a pandemia obrigou em março à suspensão das competições, e, depois, ao cancelamento.

Para o Benfica, o ano ficou a ‘meio’, num momento em que a equipa liderava o campeonato, com os mesmos pontos do Sporting e vantagem no confronto direto, estava nas meias-finais da Taça de Portugal e na final da Taça da Liga.

Nesta nova época são algumas as mudanças no plantel ‘encarnado’, mais curto, alguns reforços e algumas promoções juniores, mas com Luís Andrade a admitir que houve a preocupação de reforçar alguns setores.

Desde logo com a entrada das defesas internacionais Matilde Fidalgo e Carole Costa, num setor que perdeu a lateral Yasmim (Corinthians), e no meio-campo, com as aquisições da nigeriana Christy e da holandesa Jolina.

“Quando vamos buscar, procuramos reforçar alguns setores que consideramos mais débeis”, justificou o treinador ‘encarnado’, sem deixar de apontar os regressos de Jassie, Carlota Cristo e Carolina Vilão, além da promoção de jogadoras juniores.

Para Luís Andrade, o clube tem apostado numa integração muito positiva da formação, em que de base as jogadoras apreendem processos e dinâmicas fáceis de incorporar quando chegam aos escalões superiores.

Para o Benfica a época será não só nas competições nacionais, mas também na estreia internacional, na Liga dos Campeões.

“Fomos a equipa mais regular em 2019/20, é um prémio mais do que justo”, disse o técnico, em relação à participação na elite europeia, onde espera chegar às 32 melhores equipas, o que obrigará a ultrapassar duas rondas a um único jogo.

A equipa vai continuar a trabalhar na casa ‘emprestada’ do Atlético, numa época que se adivinha difícil em cenário de pandemia de covid-19 e com Luís Andrade a apelar a uma responsabilidade coletiva para tudo correr bem.

“Os clubes têm de ser responsáveis. Se isto [o campeonato] parar, não sei se vai recomeçar”, alertou.

O Benfica inicia a Liga no domingo, com a visita à formação do A-dos-Francos, na primeira jornada da zona sul.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página