loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Público nos jogos da seleção são «testes» que não querem dizer mais nada do que isso

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

A diretora-geral da Saúde disse hoje que a presença de público nos dois jogos da seleção portuguesa «não quer dizer mais nada se não que estão a ser feitos testes» e acrescentou que poderá ser feito um terceiro «piloto».
Público nos jogos da seleção são «testes» que não querem dizer mais nada do que isso

“Isto não quer dizer mais nada senão que estamos a fazer um teste. Estamos a testar o comportamento das pessoas – sem qualquer estigma aqui associado – ver a entrada e a saída de um estádio (…). Vamos ver e observar os comportamentos. São experiências e depois veremos. A avaliação aqui vai ser importantíssima. Não podemos tirar conclusões antes de avaliar estes pilotos”, disse Graça Freitas.

A diretora-geral, que falava na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à pandemia da covid-19 em Portugal, acrescentou que “poderá eventualmente haver um terceiro teste piloto, isto até entrar no que chamou “modo de produção”.

“[Corresponde] a uma fase totalmente diferente e que depende desta avaliação preliminar dos projetos pilotos”, disse Graça Freitas, reiterando que relativamente ao futebol, as autoridades de saúde “têm tido uma situação de precaução e de coerência”.

“Foi sempre dito que a nossa prioridade, neste período que acabou, era a abertura das escolas para vermos todo o comportamento e dinâmica. Não estava prevista a existência de público nos estádios e daí o que referiu [pedidos do Vitória de Guimarães e do Benfica recusados] não terem tido público nos estádios. A situação vai evoluindo e vamos apenas fazer dois testes piloto. E dois pilotos é isso: testar o conceito para ver se resulta em segurança”, apontou.

Na terça-feira foi anunciado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que os próximos jogos da seleção portuguesa, frente à Espanha e à Suécia, ambos no estádio Alvalade XXI, foram autorizados a receber público.

"No jogo de preparação entre as seleções de Portugal e de Espanha, no próximo dia 07 de outubro, pelas 19:45, no Estádio Alvalade XXI, será autorizada a ocupação de 5% da lotação do estádio com público. No jogo oficial entre as seleções de Portugal e da Suécia, a contar para a Liga das Nações, no dia 14 de outubro, às 19:45, no Estádio Alvalade XXI, será autorizada a ocupação de 10% da lotação do estádio com público", anunciou a FPF em comunicado.

De acordo com a federação, a decisão surgiu "na sequência de reuniões de trabalho havidas nas últimas semanas com o Governo e a Direção-Geral da Saúde", sendo que, no final dos dois jogos, "as equipas operacionais da FPF elaborarão um relatório detalhado, que será analisado pela Autoridade de Saúde com vista a uma eventual autorização da presença de público nos jogos de futebol em Portugal continental, que se reconhece de extrema importância social e económica".

Com a pandemia covid-19, a presença de público nos estádios de futebol foi proibida praticamente à escala mundial, estando a proibição a ser levantada gradualmente em alguns países, embora ainda não tenha sido dada 'luz verde' em Portugal.

O primeiro teste com público em Portugal será efetuado no próximo sábado, mas ainda sem ser em território continental, com a disputa do encontro entre o Santa Clara e o Gil Vicente, nos Açores, em partida da terceira jornada da I Liga.

A propósito deste jogo e desta autorização, na mesma conferência de imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, precisou que esse pedido foi dirigido e coordenado pelas autoridades da Região Autónoma dos Açores.

Também sobre este tema, na sexta-feira foi tornada pública a criação do ‘Movimento Sem Adeptos Não Há Futebol’, subscrito por dezenas de personalidades do futebol, que pretende pressionar as autoridades competentes a autorizarem o regresso do público aos estádios de futebol.

Assinam o manifesto do movimento 67 personalidades do mundo do futebol, entre as quais Jorge Jesus, Sérgio Conceição, Pedro Proença, Paulo Futre, Nuno Gomes, Manuel Fernandes, Deco e Fernando Couto.

Paralelamente, o Vitória de Guimarães tentou convidar sócios para o duelo da primeira jornada do campeonato, realizado em 18 de setembro (derrota com o Belenenses SAD, por 1-0), mas a Administração Regional de Saúde do Norte proibiu a iniciativa, com a justificação do "cenário epidemiológico" que então se vivia em Guimarães - o concelho tem 1.173 casos positivos, segundo a informação mais recente disponível no portal da DGS para a covid-19.

O Benfica queria receber um "número limitado" de adeptos no camarote do estádio para o jogo com o Moreirense, a contar para a segunda jornada e que os benfiquistas venceram por 2-0, mas a DGS não deu a autorização necessária.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.971 em Portugal.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página