loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

QF Mundial-2022: Carlos Queiroz deixa Colômbia a meio da quinta qualificação

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O português Carlos Queiroz deixou hoje o cargo de selecionador da Colômbia, que disputa o acesso ao Mundial-2022 de futebol, a disputar no Qatar, para o qual o treinador poderia qualificar uma seleção pela quinta vez.
QF Mundial-2022: Carlos Queiroz deixa Colômbia a meio da quinta qualificação

Queiroz deixa os ‘cafeteros’, que comandava desde fevereiro de 2019, após 18 jogos, nove vitórias, cinco empates e quatro derrotas, sendo as mais recentes, em novembro, as que mais contribuíram para este desfecho, frente ao Uruguai (3-0) e Equador (6-1), esta última a mais pesada da seleção colombiana desde 06 de março de 1977, quando foram goleados pelo Brasil por 6-0, no Maracanã.

Após quatro das 18 jornadas, a Colômbia está fora dos lugares de apuramento para o Mundial2022, ao ocupar o sétimo lugar da qualificação sul-americana, com os mesmos quatro pontos do Chile, sexto. O Brasil lidera com 12 pontos, mais dois do que a Argentina.

O treinador português, de 67 anos, e a Federação Colombiana de Futebol (FCF) chegaram a acordo para a rescisão do contrato, válido até 30 de junho de 2022, de acordo com a entidade que rege o futebol no país sul-americano.

“A FCF e o responsável técnico Carlos Queiroz concordaram com a não continuidade do treinador à frente da seleção sénior masculina da Colômbia. Para a FCF foi um orgulho contar com ele durante quase dois anos, nos quais nos brindou com toda a sua capacidade de trabalho, conhecimento e experiência”, lê-se no comunicado do organismo colombiano.

Queiroz aspirava a uma quinta qualificação para um campeonato do mundo, depois de ter alcançado este feito ao serviço de África do Sul, em 2002, sem que tivesse orientado os ‘Bafana Bafana’ na fase final, de Portugal, em 2010, e do Irão, em 2014 e 2018.

Walter Winterbottom, que classificou a Inglaterra para os Mundiais 1950, 1954, 1958 e 1962, e Óscar Tabárez, que conseguiu o feito em 1990, 2010, 2014 e 2018, sempre no comando da seleção ‘celeste’, detém idêntico registo, sendo que o uruguaio ainda está na ‘corrida’ ao Mundial2022.

Em 2019, o técnico luso levou a Colômbia aos quartos de final da Copa América, fase em que foi eliminada pelo Chile, nas grandes penalidades (4-3), após o nulo no prolongamento, numa competição em que não sofreu golos e venceu o grupo da primeira fase com pleno de vitórias, incluindo o triunfo por 2-0 diante da Argentina.

No próximo ano, a Colômbia e a Argentina vão ser anfitriãs da Copa América, que foi adiada para o período entre 11 de junho e 11 de julho de 2021 devido à pandemia de covid-19, defrontando, no grupo norte as seleções de Equador, Venezuela, Peru, Brasil, campeão em título, e o ‘convidado’ Qatar.

O ‘timoneiro’ da ‘geração de ouro’ portuguesa, que levou aos títulos mundial de sub-20 em 1989 e 1991, encerrou a sua quinta aventura em seleções, depois de Emirados Árabes Unidos (1997-1999), África do Sul (2000-2002), Portugal (1991-1993 e 2008-2010).

Ao nível de clubes, Queiroz treinou ainda Sporting (1993-1996) e Real Madrid (2003-04), além de ter coadjuvado Alex Ferguson no Manchester United, entre 2002 e 2003 e entre 2004 e 2008.

Oceano Cruz, antigo futebolista e ex-capitão do Sporting, e o treinador de guarda-redes Hugo Pereira integravam a equipa técnica de Queiroz na seleção colombiana.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página