loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: Jovane Cabral entra para virar resultado e levar Sporting à final

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O suplente Jovane Cabral ‘bisou’ hoje na vitória do Sporting frente ao FC Porto, por 2-1, em Leiria, consumando a reviravolta no clássico das meias-finais da Taça da Liga de futebol, depois de Marega ter adiantado os ‘dragões’.
Crónica: Jovane Cabral entra para virar resultado e levar Sporting à final

O extremo foi uma das apostas para desempatar o encontro do treinador do Sporting, Ruben Amorim, aos 78 minutos, mas, um minuto depois, Marega ensaiou uma jogada monumental e marcou o primeiro golo da partida.

Mesmo assim, Jovane Cabral arrebatou o protagonismo do encontro, ao marcar os dois golos ‘leoninos’, aos 86 e 90+4, qualificando o Sporting para a final da competição, frente a Benfica ou Sporting de Braga, que se defrontam na quarta-feira, também na cidade leiriense.

Após a polémica da véspera, o líder da I Liga apresentou-se sem Nuno Mendes e Sporar e com o esquema tático habitual, com os três centrais Gonçalo Inácio, Coates e Feddal e os laterais Pedro Porro e Antunes, os médios Palhinha e João Mário e um ataque com Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Tiago Tomás.

Face às ausências dos ‘titulares’ Otávio, Sérgio Oliveira, Luís Diáz e Taremi, Sérgio Conceição recriou a disposição ‘leonina’, com Marega no centro do ataque, apoiado por Corona e Felipe Anderson, à frente dos médios defensivos Uribe e Grujic. Mais atrás, os centrais Diogo Leite, Pepe e Mbemba estiveram à frente de Diogo Costa, com João Mário e Zaidu nas laterais.

O ‘encaixe’ foi praticamente perfeito e foi até o menos rotinado nesta formação FC Porto a demonstrar melhor desenvoltura, conseguindo, logo na primeira parte, algumas oportunidades de finalização, uma delas embatendo no poste da baliza ‘verde e branca’.

Marega foi o protagonista do lance mais flagrante da primeira metade, aos 40 minutos, depois de João Mário se desenvencilhar de Antunes e obrigar Coates a um corte perto da linha de golo, que deixou a bola à mercê do maliano, que acertou no poste.

Antes, aos 20, já Marega tinha aproveitado o mau tempo de salto de Feddal a um passe longo do guarda-redes Diogo Costa, para servir Corona, que rematou por cima do ‘alvo’.

Do lado ‘verde e branco’, o guarda-redes Adán mostrou-se eficaz, a defender um cabeceamento de Diogo Leite, aos 11, e a sair-se aos pés de Grujic, aos 18.

Na primeira parte, o setor mais ofensivo do Sporting ressentiu-se das incursões dos laterais, Porro, na direita, onde se deparava com Felipe Anderson, e Antunes, que, com Corona, também não se aventurou como Nuno Mendes.

Assim, os ‘leões’ não conseguiram melhor do que as aparições de Pedro Gonçalves, aos 34, quando atirou por cima da baliza ‘azul e branca’, e Nuno Santos, dois minutos depois, após passe de Tiago Tomás, sem conseguir evitar a saída de Diogo Costa.

A segunda parte começou praticamente com novo desperdício dos ‘dragões’, aos 47, quando Uribe, em zona central, atirou muito por cima da baliza sportinguista, após um passe da linha de fundo de Marega.

O tal ‘encaixe’, alimentado pelas cautelas e pelas picardias normais de um clássico, concentrava o jogo no meio-campo, excetuando-se as bolas paradas e alguns lançamentos diretos, como os dois protagonizados por Nuno Santos e Diogo Costa.

O extremo ‘leonino’, após iniciativa de Pedro Gonçalves, chegou a conseguir posição de remate, aos 68, mas encontrou o guarda-redes ‘azul e branco’, que, cinco minutos depois, se viu obrigado a sair até à entrada do meio-campo para desarmar Nuno Santos.

Depois, surgiu Marega com uma arrancada fulminante, conseguindo, mesmo com a oposição de Antunes, inaugurar o marcador, aos 79, com um remate fraco e rasteiro, mas colocado, que deixou Adán sem reação.

Apesar de próximo do fim, o jogo não estava resolvido e Jovane Cabral, que tinha substituído Tiago Tomás, chegou ao empate, aos 86, com um ‘tiro’ cruzado, à entrada da área, após um corte da defensiva ‘azul e branca’, sem hipóteses para o guarda-redes ‘azul e branco’.

O extremo ‘leonino’ acabou por sentenciar o encontro, quando faltavam 20 segundos para o fim dos quatro minutos de compensação, batendo Diogo Costa, após um lance de contra-ataque conduzido por Pedro Gonçalves.

O Sporting, vencedor da Taça da Liga em 2017/18 e 2018/19, vai disputar a final da Taça da Liga pela quinta vez, no sábado, a partir das 19:45, frente ao vencedor do embate entre Benfica e Sporting de Braga, marcado para quarta-feira.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página