loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: Moreirense e Portimonense empatam a duas bolas com drama à mistura

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

Moreirense e Portimonense empataram hoje 2-2, num emotivo jogo da 15.ª jornada da I Liga de futebol, finalizado com um penálti do minhoto Steven Vitória defendido pelo algarvio Ricardo Ferreira nos descontos.
Crónica: Moreirense e Portimonense empatam a duas bolas com drama à mistura

Em Moreira de Cónegos, os golos de Rafael Martins, aos 23 minutos, e Steven Vitória, aos 35, inverteram o tento inaugural de Lucas Possignolo, aos 16, mas Dener repôs a igualdade, aos 83, para, ao curto minto de compensação, derrubar Galego na área.

O defesa internacional canadiano dispôs de uma soberana ocasião para ‘bisar’ e diluir a toada de equilíbrio, mas permitiu a defesa de Ricardo Ferreira, deixando o Moreirense no sétimo lugar, com 18 pontos, três acima do Portimonense, 11.º.

A entrada enérgica dos algarvios, sinalizada logo aos dois minutos, num pontapé à meia volta de Fabrício parado por Mateus Pasinato, foi premiada aos 16, com a emenda de Lucas na linha de golo ao cabeceamento inicial de Dener à trave, após livre de Ewerton.

Os minhotos sentiam dificuldades para manobrar a bola no último terço, mas reagiram com tremenda eficácia aos 23 minutos, quando o goleador Rafael Martins aproveitou um corte defeituoso de Lucas Possignolo para bater Ricardo Ferreira de fora da área.

O empate abalou o ascendente do Portimonense, que deixou de articular setores, viu Filipe Soares atirar ao lado, aos 25 minutos, e permitiu a reviravolta do Moreirense aos 35, com a impulsão de Steven Vitória a corresponder na área ao livre de Yan pela esquerda.

A inversão do rumo dos acontecimentos coincidia com o crescimento exibicional dos pupilos de Vasco Seabra, cujas correções na pressão sobre o portador da bola e nos posicionamentos para abordar os duelos físicos tornaram a equipa mais agressiva.

Os anfitriões ainda dispuseram de nova oportunidade de ampliar a vantagem, aos 42 minutos, desenhando uma variação de flanco entre os irmãos Alex e Filipe Soares, que serviu na direita o toque de calcanhar de Walterson para o remate torto de Yan.

A formação de Paulo Sérgio surgiu no reatamento com uma tripla substituição e entregou o corredor esquerdo às acelerações de Fali Candé, em evidência aos 50 minutos, ao assistir um pontapé cruzado de Luquinha, afastado a soco por Mateus Pasinato.

O Moreirense ripostou dois minutos depois, pelos pés do irrequieto Yan, ao atirar de primeira por cima da baliza de Ricardo Ferreira, enquanto o Portimonense voltou a ameaçar aos 55, através de um remate desenquadrado de Koki Anzai pela direita.

A coesão minhota segurava o atrevimento dos algarvios, que espreitaram o empate num ‘tiro’ em arco de Bruno Moreira (67 minutos), reclamaram uma eventual mão na bola de Matheus Silva na área e deixaram Filipe Soares (71) a centímetros da estocada final.

Apesar de ter apostado numa linha de cinco defesas na reta final do jogo, a estratégia anfitriã ruiu aos 83 minutos, já que o capitão ‘alvinegro’ Dener voltou a ganhar nas alturas um livre lateral, desta feita assinado pelo inconformado Luquinha, e fixou o empate.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página