loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: Benfica escorrega na Luz diante do Nacional

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O Benfica permitiu hoje um empate 1-1 diante do Nacional no Estádio da Luz, em jogo da 15.ª jornada da I Liga de futebol, e corre o risco de se atrasar ainda mais face ao líder Sporting.
Crónica: Benfica escorrega na Luz diante do Nacional

O surto de covid-19 no plantel dos ‘encarnados’, que ditou 10 ‘baixas’ para este embate, já anunciava enormes dificuldades para o técnico Jorge Jesus preparar a equipa. Contudo, o vírus SARS-CoV-2 acabou por infetar também a inspiração do conjunto da Luz, que teve uma atuação muito pálida contra o clube madeirense, que, graças a uma boa organização defensiva, pragmatismo q.b. e muita entreajuda, conseguiu travar o favoritismo dos anfitriões.

Com uma defesa totalmente composta por elementos pouco utilizados – desde o guardião Svilar ao jovem lateral João Ferreira -, além da aposta em Chiquinho para o lugar do extremo brasileiro Ewerton, o Benfica até entrou em campo com uma atitude positiva e assertiva.

Um futebol apoiado, com um ritmo muito interessante e boas combinações no ataque, proporcionou o primeiro sinal de perigo a Chiquinho logo aos quatro minutos. Aliás, seria pelo criativo português que passariam praticamente todas as ameaças do Benfica, pois, aos oito minutos, colocou mesmo a bola na baliza ‘alvinegra’, para depois ver o lance invalidado pelo vídeoárbitro devido a fora de jogo de João Ferreira no momento da assistência.

Contudo, aos 14 minutos, já não houve reversão de decisão e Chiquinho festejou mesmo o golo em pleno, ao surgir ao segundo poste para responder de cabeça a um cruzamento perfeito de Pizzi no flanco direito. O 1-0 ‘madrugador’ poderia indiciar um jogo tranquilo e sem história para o Benfica, mas o Nacional iria mostrar a falibilidade dessa previsão.

A formação de Luís Freire não se deixou intimidar pelo golo sofrido e teve uma boa reação, começando a subir no terreno e a discutir mais a meio-campo a posse de bola. No entanto, faltava alguma agilidade e contundência para surpreender o remodelado reduto defensivo do Benfica, que foi controlando sem grandes problemas a resposta do Nacional até ao intervalo.

Se a primeira parte já tinha chegado ao fim com um maior equilíbrio no relvado, o início do segundo tempo confirmou rapidamente essa tendência, com o Nacional a chegar ao golo do empate logo aos 48 minutos, por intermédio de Rochez, que cabeceou já a meia altura na pequena área para bater Svilar, antecipando-se de forma astuta à marcação de João Ferreira.

A igualdade no marcador propagou o nervosismo entre a formação ‘encarnada’, que empurrou o Nacional para o seu meio-campo, mas denotou dificuldades evidentes para encontrar espaços face às linhas defensivas extremamente próximas do adversário. Com muito ascendente, mas poucas ocasiões, o Benfica viu ainda assim Gonçalo Ramos, aos 65, e Seferovic, aos 83, ficarem perto do golo.

Por outro lado, o Nacional mostrou maior ambição na reta final do encontro e até se lançou ao ataque em busca da vitória, só que não teve engenho para voltar a bater Svilar.

Ato contínuo, o árbitro Rui Costa apitou para o final, deixando o Benfica com 33 pontos e provisoriamente a três do líder Sporting (36), mas que podem aumentar para seis, face ao jogo em falta para os ‘leões’, com quem medem forças na próxima jornada. Por sua vez, o Nacional sobe ao 14.º lugar, com 14 pontos, embora continue próximo da ‘linha de água’.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página