loading
LIVESTREAM

FC Porto-Sporting: 'Leão' pode 'carimbar' título, na última 'cartada' do campeão

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O Sporting pode garantir, praticamente, no sábado a conquista do 19.º título nacional de futebol, para acabar com a maior seca da sua história, no reduto de um campeão FC Porto que joga a última ‘cartada’.
FC Porto-Sporting: 'Leão' pode 'carimbar' título, na última 'cartada' do campeão

Embora o encontro seja ainda da 21.ª ronda, e fiquem a faltar 13, para um total de 39 pontos, se os ‘leões’ saírem do Dragão 13 pontos à frente, ou mesmo 10, ninguém acredita que possam perder tamanha vantagem. Nunca nenhuma equipa perdeu.

Concluídas 20 rondas da edição 2020/21 da I Liga portuguesa de futebol, os comandados de Rúben Amorim estão a realizar um percurso sensacional, com 17 vitórias, três empates e nenhuma derrota, equivalentes a 54 pontos.

Os números são brilhantes, e os ‘leões’, que só em 2015/16, com Jorge Jesus, tinham ultrapassado a barreira dos 50 pontos nesta fase (51), podem mesmo igualar o seu recorde de jogos sem perder a abrir uma temporada, replicando 1981/82.

Desde que, a partir de 1995/96, as vitórias valem três pontos, só o FC Porto, por duas vezes, em 1996/97 (56) e 2010/21 (56), tinha feito melhor do que o atual Sporting, que só foi empatado por ‘dragões’ (2-2, à quarta jornada) e Rio Ave (1-1, à 14.ª), em Alvalade, e em Famalicão (2-2, à nona).

Quanto à diferença para o segundo classificado, sempre que neste período, à 20.ª jornada, foi superior a cinco pontos, o líder acabou campeão, o que aconteceu seis vezes ao FC Porto, em 1995/96, 1996/97, 1997/98, 2002/03, 2007/08 e 2010/11.

A formação ‘leonina’ está agora com 10 pontos à maior, beneficiando também da ‘falência’ dos seus eternos rivais: os ‘dragões’, com 44 pontos, têm o pior registo desde 2013/14 (42) e as ‘águias’, com 39, não ‘voavam’ tão baixo desde 2007/08 (38).

O que se pode dizer, volvidas 20 rondas, é que foi o treinador do Benfica, Jorge Jesus, que prometeu muito, mas é o Sporting que está a cumprir, superiormente liderado por Rúben Amorim, cujos mais de 10 milhões de euros que custou já parecem ‘peanuts’.

Os ‘leões’ não têm apresentado um futebol exuberante, e nem sequer têm o melhor ataque (42 golos marcados, contra 45 do FC Porto), mas têm sido muito consistentes em termos defensivos, sendo a equipa menos batida da prova (10 sofridos).

O sistema de três centrais, liderado por Coates, ao lado de Feddal e Luís Neto e à frente do guarda-redes Adán, tem funcionado muito bem, protegido por Palhinha e João Mário, e dá grande projeção ofensiva aos laterais Pedro Porro e Nuno Mendes.

Mais na frente, a velocidade de Tiago Tomás e Nuno Santos tem feito muita mossa, nas costas das defesas contrárias, bem como os golos (14) de Pedro Gonçalves, que nem faturou nos últimos três jogos, mostrando que não há qualquer tipo de dependência.

O Sporting chega, assim, ao clássico personalizado, forte, com as ideias bem definidas, ‘descansado’ - já que as prematuras eliminações da Liga Europa e da Taça de Portugal lhe valem um calendário desafogado, com muito tempo entre jogos - e na melhor fase do campeonato, com seis triunfos consecutivos.

Pelo contrário, o FC Porto apenas venceu um dos últimos quatro encontros na I Liga, precisamente na última ronda, salvando o que seria o quarto empate consecutivo apenas nos descontos, e graças a uma grande penalidade – e vão 12.

O sofrido 2-1 ao Marítimo contrastou com o jogo anterior, o 2-1 conseguido de forma categórica na receção à Juventus, numa exibição que até merecia um melhor resultado, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Sem a ‘folga’ competitiva dos ‘leões’, os ‘dragões’ chegam mais ‘massacrados’ e claramente pressionados, sabendo que só uma vitória os relançaria – ficariam a sete pontos – na corrida à revalidação do cetro, à conquista do 30.º título nacional.

Com o regresso de Otávio, e sem lesionados ou castigados, o treinador portista, Sérgio Conceição, deverá optar pelo seu ‘onze’ de ‘gala’, o que derrotou a Juventus, com o seu filho Francisco no banco, para lançar se necessário.

Assim, é provável que joguem Manafá, Mbemba, Pepe e Zaidu, à frente de Marchesín, um meio-campo com Uribe e Sérgio Oliveira, ao meio, e Corona e Otávio, mais nos corredores, com Marega e Taremi (10 golos na I Liga) na frente de ataque.

O encontro entre o FC Porto e o Sporting, da 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, realiza-se no sábado, pelas 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, sem adeptos, sem festa, um novo normal, face à ‘incontornável’ pandemia da covid-19.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2021
V. Guimarães - Boavista, 2 - 1

Sábado, 27 de Fevereiro de 2021
Famalicão - Farense, 0 - 0
Santa Clara - Paços Ferreira, 3 - 0
FC Porto - Sporting, 0 - 0

Domingo, 28 de Fevereiro de 2021
Portimonense - Marítimo, 0 - 0
Tondela - Gil Vicente, 1 - 0
Nacional - Sp. Braga, 1 - 2

Segunda-feira, 1 de Março de 2021
Benfica - Rio Ave, 2 - 0
Moreirense - B SAD, 2 - 2

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página