Paulo Sérgio: «Estamos fora dos lugares de descida e não tem que haver nenhum stress»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

Declarações de Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, após o jogo Boavista-Portimonense (1-0), da 33.ª jornada da I Liga de futebol, disputado hoje no Estádio do Bessa, no Porto.
Paulo Sérgio: «Estamos fora dos lugares de descida e não tem que haver nenhum stress»

“Acho que o Boavista foi feliz na forma como alcançou o golo. Durante 94 minutos não os deixámos enquadrar um remate na baliza. Fizemos um jogo quase taticamente irrepreensível, mas o Boavista teve felicidade.

A felicidade caiu para o lado do Boavista, num jogo em que o empate claramente era o resultado mais justo. Soubemos ter bola, mas o momento em que o golo do Boavista surge dificultou-nos bastante a recuperação no final. Acima de tudo, não fomos felizes.

Preconizámos um sistema tático híbrido. Houve muitos momentos em que o Boavista se apresentou como ultimamente, a jogar com dois homens na frente. Tanto estávamos com três centrais, como com um deles a fazer de ‘trinco’ para acompanhar o Angel Gomes.

Não era um sistema de três defesas estanque. No primeiro tempo, o Boavista colocou o Sauer na direita e nós apenas mudámos a pressão na frente. Acho que funcionou muito bem em termos táticos. O Boavista não conseguiu criar ocasiões e tivemos muita bola.

Não fomos tão incisivos como eu gostaria nos movimentos, mas a experiência da retaguarda do Boavista também retirava esse espaço. Tivemos o jogo completamente controlado de princípio a fim, mas não fomos felizes como obtivemos este resultado.

Foi pena. Não deveríamos ter chegado até aqui na decisão. Merecíamos mais pelas dificuldades e episódios que tivemos durante a temporada. Se houve um momento com três vitórias seguidas e poderíamos terminar com algo mais, entretanto não vencemos.

Estamos na briga, com muitos outros envolvidos, que estão em muito pior situação que nós, e lutaremos até ao fim para dignificar o emblema que trazemos ao peito. Seria um erro pensarmos em facilidades. Nada nesta vida, e muito menos para nós, é fácil.

Temos de estar muito focados e concentrados para saber o que fazer dentro do terreno, esperando também que a sorte venha um pouco para o nosso lado. Isso às vezes ajuda as equipas a serem felizes, até porque nem sempre ganha quem merece, mas é futebol.

Estamos fora dos lugares de descida e não tem que haver nenhum stress. Temos é de estar humildes e animados no próximo treino, sem meter a cabeça debaixo do chão”.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página