Sporting: Rúben Amorim vai premiar jogadores menos utilizados da sua equipa frente ao Marítimo

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O treinador Rúben Amorim revelou hoje que vários jogadores menos utilizados pelo Sporting ao longo da época vão jogar na quarta-feira, diante do Marítimo, na 34.ª e última jornada da I Liga de futebol.

O técnico explicou que os minutos que vão poder disputar são um reconhecimento merecido pelo trabalho que fizeram ao longo de uma temporada em que contribuíram para a conquista do título de campeão nacional do clube.

“Alguns jogadores que tiveram menos tempo vão jogar este jogo. Foi logo a ideia que tivemos a seguir à conquista do título. Vamos pôr jogadores que tiveram menos tempo e fizeram muito. Na hora em que precisávamos trabalharam de forma vincada, mesmo sem jogar, ajudando o plantel a elevar o nível, desta vez somos nós a dar-lhes tempo”, disse.

Entre os elementos que vão cumprir minutos no jogo no Estádio José Alvalade vão estar dois estreantes, que, dessa forma, se vão sagrar campeões nacionais.

“O André Paulo [guarda-redes, de 24 anos] e, em princípio, o Tomás Silva, [médio, de 21 anos], da equipa B, vão-se estrear. Este último é um jogador que não vai continuar connosco e, como é um atleta que está no clube desde os nove anos e nos ajudou, é uma forma de premiá-lo como exemplo do que deve ser um jogador da formação do Sporting”, explicou.

Instado a fazer um balanço da época, o treinador dos sportinguistas confessou que a eliminação precoce da Liga Europa foi um revés que acabou por ser benéfico na luta pelo título nacional.

“Na Europa não correu como planeado. Não estávamos a pensar sair da Liga Europa. Foi difícil. Depois fizemos planeamento para jogar semana a semana. Se formos justos na avaliação, penso que a equipa precisava e acabou por correr bem. Os jogadores cresceram mais do que pensei, mesmo os miúdos mais novos. Tivemos muito mais tempo para treinar, mais que os nossos rivais, precisávamos disso e foi muito bom”, referiu.

Já na Taça de Portugal, competição em que o Sporting foi eliminado pelo adversário desta quarta-feira, reconheceu que a equipa poderia ter feito melhor.

“Na Taça de Portugal penso que falhámos. Podíamos ter ganho e acabámos por perder [2-0] com o Marítimo. Foi o momento mais baixo da época e em que ficámos aquém das expectativas”, admitiu

Sobre o campeonato, Rúben Amorim, que quer terminar a prova com um triunfo sobre os madeirenses, lembrou que o Sporting foi campeão sem ter perdido nenhum jogo até ao momento em que o título foi conquistado.

“Não terminámos a época sem derrotas, mas fomos campeões sem derrotas. Foi um ano muito bom. Na próxima época vamos sofrer muito, mas temos já mais treino. Não vai haver muitas mudanças no plantel, espero eu. Não me quero adiantar muito porque o mercado tem as suas regras, mas a nossa ideia é não mudar muito. Os jogadores vão para um patamar diferente. Não vamos apanhar toda a gente distraída”, disse.

Apesar de difícil, o treinador não esconde o desejo de não perder os jogadores que compõem o atual plantel ‘leonino’.

“Já está tudo falado há algum tempo. Há jogadores que para mim não podem sair do Sporting, mas há coisas que são difíceis de controlar. Está claro para nós que preferimos não vender e não comprar. É uma regra que temos, mas sabemos que vamos para um patamar diferente, para a melhor competição do mundo [Liga dos Campeões]. Ser campeão aumenta a responsabilidade. Não podemos alterar a nossa ideia de apostar na formação. O Tiago Tomás, o Dani e o Matheus têm que crescer e, sem saída. Muito dificilmente vão chegar jogadores. Aqui ou ali há posições que sabemos ter de melhorar, mas se não saírem não vêm mais jogadores”, assegurou.

Quem vai permanecer no Sporting em 2021/22, por mais tentadoras que sejam as propostas que lhe cheguem, é Rúben Amorim, garantiu o próprio treinador.

“Sabemos que o futebol é o momento e talvez fosse a altura ideal para sair, mas não vou fazê-lo. Venha a proposta que vier não vou sair. Tenho contrato com o Sporting e sou feliz aqui. Tenho uma equipa que gosto. Sei o desafio e risco que é. Podia sair da forma mais fácil porque sei que dois jogos mudam tudo, mas com o acordo que tenho com o presidente e o [Hugo] Viana pode vir quem vier. Tomara eu ter a certeza de que os jogadores ficam como eu fico”, disse.

Sobre a luta pelo troféu individual de melhor marcador da I Liga, o técnico gostaria de ver Pedro Gonçalves vencer e, no que for possível, a equipa fará o que estiver ao seu alcance para o concretizar, ajudando a desfazer o ‘empate’ a 20 golos com o suíço Haris Seferovic, avançado do Benfica.

“Se pudermos ajudar o Pedro Gonçalves muito bem, mas o objetivo é ganhar o jogo. Não vamos chegar ao jogo e olhar só para o ‘Pote’ marcar golos. Damos-lhe os penáltis e talvez um livre mais perto da baliza. Se vencer penso que é um prémio merecido pelo que fez ao longo da época”, vincou.

Questionado sobre o facto de se ter sagrado campeão sem possuir ainda o curso de treinador de Nível IV, Rúben Amorim confessou que, se pudesse, mudaria as regras de acesso em Portugal.

“Mudaria apenas o acesso, a não limitação do trabalho. Da mesma maneira que se tira o curso no estrangeiro, muito mais rápido, aqui é muito mais difícil. Tenho que tirar o Nível IV. Vou entrar em pré-época ainda a acabar o Nível IV, numa equipa que vai disputar a Supertaça e tem de preparar a Liga dos Campeões e o início do campeonato. Vou ter de o fazer e espero passar”, disse, arrancando risos na sala de imprensa da academia de Alcochete, em que decorreu a conferência de imprensa.

O líder Sporting, com 82 pontos, recebe na quarta-feira o Marítimo, no 13.º posto, com 35, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, às 21:45, na 34.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terá arbitragem de Gustavo Correia, da associação do Porto.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página