Crónica: Sporting goleia na coroação de Pedro Gonçalves e na despedida de João Pereira

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O campeão Sporting ‘fechou’ na quarta-feira a I Liga de futebol com uma goleada por 5-1 na receção ao Marítimo, que coroou Pedro Gonçalves como ‘artilheiro’ e marcou a despedida de João Pereira dos relvados.
Crónica: Sporting goleia na coroação de Pedro Gonçalves e na despedida de João Pereira

Com um ‘hat-trick’, o primeiro da carreira, aos sete, 20 e 62 minutos, Pedro Gonçalves superou Seferovic na lista dos melhores marcadores do campeonato, terminando com 23, mais um do que o suíço.

Um autogolo de Karo, aos 21 minutos, e Plata, aos 75, fizeram os restantes golos sportinguistas, que terminam o campeonato com mais cinco pontos do que o FC Porto, enquanto o Marítimo ‘fechou’ as contas do marcador aos 89, por Beltrame, e terminou a prova em 15.º lugar, com 35 pontos, um acima do Rio Ave, que vai disputar o ‘play-off’ de descida.

Luís Maximiano, Luís Neto, Antunes e Jovane Cabral foram as novidades na equipa inicial do Sporting, que voltou a apostar num meio-campo com Daniel Bragança e Matheus Nunes, reconfigurando um pouco o ‘onze’ base após a consagração do título.

A abrir a partida, Antunes, hoje capitão, apanhou de primeira uma bola aérea e, com um remate portentoso, atingiu com estrondo a trave da baliza, naquele que seria um dos melhores golos do campeonato, sem quaisquer hipóteses para Charles.

Não tardou muito até chegar o primeiro golo ‘leonino’, por intermédio do atleta mais interessado em fazer golos, Pedro Gonçalves, que atirou sem dificuldades no ‘coração’ da área, após incursão de Jovane Cabral pela esquerda, aos sete minutos.

Paulinho também tentou a sua sorte, mas atirou ao lado, antes de Pedro Gonçalves voltar a faturar, aos 20 minutos, igualando Seferovic no topo da lista dos melhores marcadores da prova, ao beneficiar de um disparo longínquo de Daniel Bragança, que acertou no poste, para, na recarga, o português encostar, livre de marcação.

O terceiro golo do conjunto ‘verde e branco’ entra diretamente para as compilações de insólitos no futebol: na reposição de bola após o segundo tento, o Marítimo atrasou o jogo até ao seu guarda-redes, que levantou demasiado o pé para segurar a bola, com esta a passar e a entrar na baliza, sendo autogolo a contar para o defesa Andreas Karo.

Mais uma vez, Paulinho procurou marcar, em duas ocasiões, mas, na primeira, o remate frontal sofreu um desvio e saiu ligeiramente por cima e, pouco depois, em velocidade, atirou rasteiro para defesa com os pés de Charles, num primeiro tempo em que os insulares ainda marcaram, por Ali Alipour, tendo sido anulado por fora de jogo.

A clara superioridade dos lisboetas prosseguiu no segundo tempo, perante um Marítimo com nove alterações em relação ao último jogo, tendo visto João Pereira a rematar desenquadrado, aos 49, antes de sair sob forte ovação dos companheiros, que o abraçaram, naquele que foi o seu último jogo da carreira enquanto jogador.

A coroação de Pedro Gonçalves como ‘artilheiro’ surgiu aos 62 minutos, fruto de outra assistência exímia de Jovane Cabral, a descobrir o médio português entre os centrais adversários, que apenas desviou a bola do caminho de Charles para fazer o ‘hat-trick’.

Como prometido por Rúben Amorim, o guarda-redes André Paulo e o médio Tomás Silva tiveram direito a 25 minutos e também eles são campeões nacionais, num período em que Gonzalo Plata fez uma ‘chapelada’ a Charles, que saiu dos postes para negar o ‘poker’ a Pedro Gonçalves, mas acabou a entregar a bola ao equatoriano.

Perto do fim, o Marítimo alcançou o tento de ‘honra’, pelo italiano Beltrame, num belo gesto individual, a ‘picar’ a bola entre a defensiva ‘leonina’ e a bater André Paulo.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página