Benfica: Direção desmente oposição à realização de AG extraordinária

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

A Direção e o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, desmentiram hoje qualquer oposição à realização de uma Assembleia Geral extraordinária, na sequência do pedido de demissão do presidente da Mesa de Assembleia Geral (MAG), Rui Pereira.
Benfica: Direção desmente oposição à realização de AG extraordinária

"A Direção do Sport Lisboa e Benfica e, em particular, o seu presidente desmentem veementemente qualquer oposição à realização da Assembleia Geral Extraordinária solicitada por um grupo de sócios", lê-se num comunicado publicado no site oficial do clube.

Na mesma nota, a direção do clube garantiu que, "no cumprimento estrito dos estatutos, dará todo o apoio aos órgãos sociais competentes para procederem à convocatória dessa mesma Assembleia Geral Extraordinária, em observância às diretrizes emanadas pela Direção-Geral da Saúde".

"E no mais breve prazo possível", asseguram os 'encarnados', que desejam "as maiores felicidades" a Rui Pereira, que se demitiu do cargo de presidente da Mesa de Assembleia Geral (MAG) do Benfica, por sentir que não tem o apoio dos corpos sociais na marcação de uma reunião magna extraordinária.

Em carta enviada ao presidente do Conselho Fiscal, à qual a agência Lusa teve acesso, Rui Pereira solicita a sua "substituição imediata", depois de não ter sentido apoio na marcação de uma Assembleia Geral Extraordinária, "requerida por um conjunto de 334 sócios, que cumprem as disposições estatutárias previstas para o efeito e representam 11.060 votos"

"Sempre assumi ser meu dever defender o superior interesse do Benfica e os direitos dos associados, cumprir os estatutos, garantir a solidariedade dos corpos sociais e respeitar a palavra dada. Por verificar que não conto com o necessário apoio dos corpos sociais, e em particular do Presidente e da Direção, para a convocação da reunião extraordinária da Assembleia Geral, concluo que deixei de reunir essas condições, que considero cumulativas e imprescindíveis", escreveu Rui Pereira.

Contactado pela Lusa, Rui Pereira, que ocupa o cargo desde outubro de 2020, remeteu para a carta que enviou ao presidente do Conselho Fiscal.

O movimento “Servir o Benfica”, que requereu a marcação da AG, quer analisar a legitimidade das últimas eleições presidenciais, em outubro de 2020, em que Luís Filipe Vieira derrotou João Noronha Lopes, além de discutir e aprovar um novo regulamento eleitoral.

Este grupo de sócios tinha anunciado que a reunião magna tinha sido marcada para 03 de julho.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página