Europeu-2020: Martínez 'lança' De Bruyne e Eden Hazard e Bélgica bate Dinamarca

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

A Bélgica venceu hoje a Dinamarca por 2-1, selando o apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, mas com ‘batota’ do espanhol Roberto Martínez, que lançou para a segunda parte De Bruyne e Eden Hazard.
Europeu-2020: Martínez 'lança' De Bruyne e Eden Hazard e Bélgica bate Dinamarca

Depois do domínio total dos dinamarqueses na primeira metade, coroado com um tento logo aos 98 segundos, para o segundo golo mais rápido em Europeus, de Yussuf Poulsen, tudo mudou após o intervalo, devido, sobretudo, à entrada do ‘cérebro’ do City.

Kevin De Bruyne, lesionado na final da ‘Champions’ por entrada violenta de Rüdiger, regressou e assistiu para o primeiro golo, de Thorgan Hazard, aos 54 minutos, antes de marcar o segundo, aos 70, com um grande ‘tiro’ de pé esquerdo, depois de um passe de Eden Hazard, lançado aos 59.

Nos dois golos, destaque também para as ‘fulminantes’ arrancadas de Lukaku, eleito o melhor em campo, que ganhou muito na segunda metade, deslocando-se mais para a direita, com a saída de Mertens e a entrada de De Bruyne, que se colocou ao meio.

Depois da reviravolta, a Bélgica não se livrou, porém, de uma série de sustos, quase todos protagonizados por Braithwaite, que, como em quase toda a temporada no FC Barcelona, teve mais vontade do que eficácia, atirando ao ‘ferro’ na melhor das ocasiões.

Em relação à primeira jornada, ambos os selecionadores mudaram duas ‘pedras’: a Dinamarca trocou o ‘desafortunado’ Eriksen e Jonas Wind por Vestergaard e Damsgaard, enquanto a Bélgica entrou com Denayer e Meunier em vez de Boyata e do lesionado Castagne.

Os dinamarqueses alteraram também o seu esquema tático, apresentando-se com três centrais, num 3-4-3 semelhante ao dos belgas, e entraram a ‘todo o gás’, conseguindo adiantar-se no marcador logo aos dois minutos.

Denayer fez um mau passe na saída de bola, Hojbjerg intercetou-a e lançou Poulsen, que, na área, sobre a direita, bateu Courtois com um remate cruzado e rasteiro que entrou junto ao poste direito, para ‘delírio’ dos adeptos da ‘casa’.

Os belgas responderam num tímido cabeceamento de Mertens, aos quatro minutos, mas os dinamarqueses ficaram claramente por cima e ameaçaram várias vezes o segundo tento, nomeadamente pelos laterais Maehle (cinco minutos) e Wass (seis).

Depois da paragem ao minuto 10 para homenagear Eriksen, a Dinamarca, mais intensa, mais pressionante, parecendo, claramente, com mais vontade, continuou a ‘mandar’, perante uma Bélgica expectante e algo surpreendida.

Wass tentou de longe, aos 26 minutos, e Damsgaard ‘furou’ a defesa contrária e atirou, já na área, ao lado do poste direito, aos 35, enquanto os belgas foram tentando servir Lukaku, que, muito sozinho, nunca incomodou Schmeichel.

Para a segunda parte, Roberto Martínez trocou Mertens, inconsequente em dia de 100.ª internacionalização, e fez estrear De Bruyne, que se colocou ao meio, nas costas de Carrasco e Lukaku, e melhorou de imediato o jogo dos belgas.

Delaney (48 minutos) e Damsgaard (51) ainda tentaram o segundo tento dos locais, mas foi a Bélgica que chegou ao empate, aos 54, num arranque imparável de Lukaku, sobre a direita, para servir Kevin De Bruyne, que ofereceu o golo a Thorgan Hazard.

O selecionador belga ainda não estava satisfeito e, aos 59 minutos, lançou Witsel e Eden Hazard, que, aos 70, fez a assistência para o ‘tiro’ certeiro de De Bruyne, numa jogada iniciada em mais uma grande jogada de Lukaku e que teve ainda a intervenção de Tielemens e Thorgan Hazard.

Em desvantagem, a equipa da casa não se foi abaixo e lançou-se em busca do empate, que esteve várias vezes perto de alcançar, nomeadamente por Braithwaite, que tentou aos 75, 76, 84 e 87 minutos, na última com um remate que acertou entre barra e poste.

Um ‘tiro’ do suplente Mathias Jensen, aos 90 minutos, foi a última grande tentativa dos nórdicos, sendo que, em contra-ataque, e sem Schmeichel na baliza, Meunier ainda poderia ter feito o terceiro tento dos belgas, aos 90+5.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página