loading

Benfica: Jorge Jesus reconhece que estabilidade diretiva dá segurança ao futebol da equipa

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem merece vencer a Bola de Ouro?

O treinador do Benfica reconheceu hoje que a estabilidade diretiva do clube dá mais segurança à equipa de futebol, mas lembrou que toda a estrutura está dependente dos resultados e recusou abordar a eventual renovação de contrato.

Jorge Jesus falou à imprensa, pela primeira vez, após a eleição de Rui Costa como presidente do Benfica, em 09 de outubro, e, sem deixar de lado o encontro com o Trofense, no sábado, da terceira eliminatória da Taça de Portugal, admitiu que “a tranquilidade de uma equipa tem alguma influência do que é a estrutura do clube”.

Isso é um facto e esperamos que agora, que já acabou [o período eleitoral do Benfica], tenha estabilidade para poder reorganizar-se, sempre numa perspetiva de crescimento. De certeza que é isso que vai fazer e que vai dar segurança. O que não podemos esquecer-nos e ignorar é que está sempre dependente de resultados. Todos nós estamos dependentes de resultados e vai ser sempre assim, o futebol”, advertiu o técnico dos ‘encarnados’, em conferência de imprensa, no Seixal.

Nesse sentido, e quando questionado sobre a possibilidade de renovar contrato com o Benfica, que termina no final desta época, Jesus não se excluiu da equação dos resultados e frisou que ainda não chegou o momento de discutir a sua eventual continuidade no clube.

O treinador vive em função de resultados. Não são todos iguais, como é óbvio, uns têm mais créditos que outros pelo seu passado, mas todos nós vivemos o dia-a-dia. Isto começou agora e, como costumo dizer, não é como começa, é como acaba. Portanto, neste momento, não é tema para falar sobre a minha renovação de contrato”, afirmou Jesus.

Sobre a visita ao Trofense, no sábado, Jesus assumiu que irá proceder a várias alterações na equipa, até porque “há três jogadores que ainda não chegaram” das seleções nacionais, mas também haverá espaço para “outros que não têm jogado tanto” e para aqueles que têm recuperado de lesões.

Nesse sentido, ‘abriu as portas’ da titularidade a Lázaro, recuperado após a lesão sofrida frente ao FC Barcelona, assim como a Meité, que “não foi para a seleção do país dele [França]”, pelo que “teve mais tempo para trabalhar e isso dá-lhe uma vantagem”, mas explicou que todas as alterações têm em vista manter os índices competitivos da equipa no topo.

Vamos tentar ajustar a competitividade a todos os jogadores da forma que o Benfica tem feito. Seja o jogo que for, a equipa está com um andamento, uma competitividade, que, jogando contra o Trofense ou o Barcelona, ela tem andamento e é isso que vou tentar fazer amanhã [sábado]”, adiantou o treinador.

O Benfica, líder da I Liga, visita no sábado o Trofense, 14.º classificado da II Liga, em partida da terceira eliminatória da Taça de Portugal, com início marcado para as 20:15.

Apesar de ser do segundo escalão nacional, o Trofense “sonha que pode eliminar o Benfica, o que é legítimo”, alertou Jorge Jesus, que frisou, no entanto, que a sua equipa pensa em “ganhar este jogo porque [a Taça de Portugal] é um dos grandes objetivos da época”.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página