loading

Crónica: Goleada do Sporting assente na solidez defensiva e na eficácia nos cantos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem merece vencer a Bola de Ouro?

O Sporting venceu hoje o Besiktas, em Istambul, por 4-1, na terceira jornada do grupo C da Liga dos Campeões de futebol, goleada que assentou na eficácia dos pontapés de canto e na solidez da sua defesa.

Crónica: Goleada do Sporting assente na solidez defensiva e na eficácia nos cantos

O Sporting fez três golos na primeira parte, todos eles na sequência de pontapés de canto, com um protagonista comum, Sebastián Coates, autor dos dois primeiros e responsável pelo penálti que daria o terceiro, aos 44 minutos.

Os dois primeiros foram uma cópia um do outro: bola metida ao primeiro poste, desvio de cabeça de Gonçalo Inácio e Coates a cabecear para o fundo das redes, à entrada da pequena área, e, no segundo, a diferença esteve em quem desviou a bola, Paulinho No terceiro, a bola foi diretamente da bandeirola de fundo para a cabeça do capitão, mas seria desviada pelo braço do central croata Domagoj Vida, dando azo ao penálti que Sarabia converteria com competência.

No entanto, o resultado não deixa transparecer os períodos do jogo em que a defesa ‘leonina’ sofreu grandes ‘apertos’ face à pressão dos turcos, chegou a abanar algumas vezes, mas nunca caiu, e quando foi preciso lá estava o guarda-redes Adán para evitar o pior e transmitir confiança aos seus companheiros.

O Besiktas entrou a exercer pressão fortíssima à saída de bola do Sporting, forçando os defesas e os médios que vinham buscar jogo a cometer alguns erros, de que resultaram perdas de bola em zonas perigosas e situações de apuro para a baliza de Adán, mas aos 15 minutos, totalmente contra a corrente do jogo, os ‘leões’ chegaram ao golo, por Coates, na sequência de um pontapé de canto.

De salientar o mérito do Sporting pelas jogadas de ‘laboratório’ nos pontapés de canto, mas o treinador do Besiktas não fez o ‘trabalho de casa’ e a sua equipa ‘pagou preço alto’ por isso, o que a este nível competitivo é fatal, sendo tudo menos comum sofrer-se três golos de canto em 45 minutos.

Desde logo, por não estarem atentos e prevenidos para a ameaça que o capitão do Sporting representa nos lances de bola parada, por um lado, e pela forma como negligenciaram as marcações ao jogadores do Sporting que surgiram na zona do primeiro poste a desviar a bola para a entrada da pequena área.

O Besiktas ainda conseguiu empatar aos 24 minutos, também na sequência de um pontapé de canto batido para o poste mais distante, no qual Matheus Reis falhou na marcação ao autor do golo, o canadiano Cyle Larin, ao permitir que este fizesse a impulsão enquanto ficava sem tirar os pés do solo.

No entanto, a equipa turca nem chegou a tirar partido do tónico anímico do golo, visto que o Sporting chegou ao segundo três minutos depois, de novo por Coates, em mais um pontapé de canto, e no último quarto de hora novo golo tanto podia ter caído para um lado como outro, com os turcos a atacarem mais em ‘fúria’ e a abrirem muitos espaços por onde o Sporting podia ter dilatado a vantagem na primeira parte.

Faltou sempre um pouco mais de discernimento no último terço, com precipitação nos últimos passes, e menos egoísmo, com Porro a exagerar na insistência em fazer um golo, em prejuízo da equipa, em vez de endossar a bola para os companheiros mais bem colocados.

Do lado turco, o internacional belga Batshuayi desperdiçou duas boas oportunidades para fazer o 2-2, numa delas com Gonçalo Inácio a facilitar, mas o intervalo chegou com o penálti que resultou no terceiro golo do Sporting.

Na segunda parte, o Besiktas ainda tentou chegar rápido ao segundo golo que o trouxesse de novo à discussão do resultado, mas coincidiu com o melhor desempenho da defesa do Sporting no jogo, sólida e compacta, sem permitir veleidades ao ataque turco, e à medida que o tempo passava o jogo foi ficando cada vez mais ‘partido’, com os avançados do Sporting a disporem de mais espaços para dar o ‘xeque-mate’ no jogo.

Em duas delas, Paulinho fez embater a bola nos ferros, em situações de golo feito, até ao minuto 89, altura em que marcou mesmo, um golo de belo efeito, a fazer um ‘chapéu de aba larga’ ao guarda-redes do Besiktas, num dos inúmeros contra-ataques que o Sporting protagonizou na segunda parte.

Com este triunfo, o Sporting segue em terceiro lugar no grupo C, com três pontos, e o Besiktas é quarto, ainda sem pontuar, enquanto aguardam pelo desfecho do jogo entre o Ajax e o Borussia Dormund, que partilham a liderança com seis pontos.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página