loading

Crónica: FC Porto perde em Liverpool, mas ainda sonha com ‘oitavos’ da Champions

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem merece vencer a Bola de Ouro?

O FC Porto perdeu hoje por 2-0 em Liverpool, em jogo do Grupo B da Liga dos Campeões de futebol, mas mantém-se na luta por uma vaga nos oitavos de final, que será decidida na derradeira jornada.

Crónica: FC Porto perde em Liverpool, mas ainda sonha com ‘oitavos’ da Champions

Em Anfield Road, os ‘dragões’ deram excelente réplica durante a primeira parte, criando mesmo boas situações para se colocarem em vantagem, só que acabaram por ceder ao golo de Thiago Alcântara, aos 52 minutos, antes de Salah consumar, aos 70, o triunfo dos ‘reds’, que já tinham garantido o primeiro posto do grupo e o apuramento para os ‘oitavos’, além de seguirem com um registo perfeito, com cinco vitórias em cinco jogos (15 pontos).

Já os portistas continuam sem vencer em solo inglês, tendo apenas uma vitória como visitantes frente a formações daquele país, alcançada em Sevilha, na época passada, onde foi disputada a eliminatória da ‘Champions’, com o Chelsea (1-0).

Mesmo com a derrota praticamente definida em Anfield, a equipa comandada por Sérgio Conceição esteve perto de garantir, pelo menos, a Liga Europa, não fosse um tento de Júnior Messias em Madrid, já na parte final da partida, ter oferecido ao AC Milan o triunfo por 1-0 sobre o Atlético.

Face aos dois resultados, o FC Porto mantém-se no segundo lugar do grupo, com cinco pontos, apenas mais um do que italianos e espanhóis, e continua dependente apenas de si para seguir em frente, sendo que uma vitória na receção aos ‘colchoneros’, na última ronda, será sinónimo de passagem, enquanto um empate poderá também ser suficiente, desde que os ‘rossoneros’ não vençam o Liverpool.

Os ‘dragões’ apresentaram-se em Anfield sem ‘medos’, com dois avançados, Taremi e Evanilson, e tentaram desde cedo condicionar os ‘reds’, com uma pressão alta muito agressiva, sobretudo a tentar aproveitar algumas debilidades na defensiva dos ingleses, que ‘pouparam’ Alexander-Arnold, Van Dijk e Robertson.

De resto, foi graças a essa intensidade no ataque à bola que o FC Porto criou três ocasiões no arranque do encontro, a melhor e mais soberana por intermédio de Otávio, que foi incapaz de concluir um golo certo, depois de uma iniciativa de Luis Díaz.

Os ‘azuis e brancos’ mostravam personalidade e uma clara ambição de ganhar o jogo, mas sofreram um forte revés ainda no primeiro tempo, quando Pepe, que estava em dúvida para o duelo, ressentiu-se de lesão e teve de ser substituído por Fábio Cardoso.

A mudança no eixo defensivo poderá ter influenciado a desatenção que permitiu a Mané ‘romper’ pelo centro e bater Diogo Costa, mas o golo foi anulado, com recurso ao videoárbitro (VAR), por fora de jogo milimétrico do avançado senegalês.

Perto do intervalo, os portistas voltaram a dispor de nova oportunidade soberana, com Otávio a isolar de forma perfeita Taremi, mas o iraniano, ao seu ‘estilo’, foi demasiado altruísta e tentou assistir um companheiro, quando poderia ter tentado o golo, na ‘cara’ de Alisson.

A situação flagrante a terminar a primeira parte teve sequência no arranque do segundo tempo, desta feita com Matheus Uribe a ameaçar o golo e a rematar muito perto do poste.

Em jogos desta ‘envergadura’, marcar é quase impreterível e o FC Porto sentiu isso mesmo na ‘pele’, já que Thiago Alcântara não esteve com ‘meias medidas’ e inaugurou o marcador com um ‘golaço’, num pontapé de fora da área, que tornou infrutífera a estirada de Diogo Costa.

O golo teve o efeito de quebrar a ‘rotação’ que o FC Porto estava a ter até então e, aos poucos, também com as entradas de Robertson e Henderson, o Liverpool foi ficando mais confortável e acabaria por dar a ‘estocada’ final das aspirações portistas, num lance genial de Mohamed Salah, que, apenas com uma simulação de corpo, deixou Uribe por ‘terra’ e bateu o guardião portista.

O egípcio chegou aos seis golos na presente edição da prova e igualou o registo de Cristiano Ronaldo, ainda assim atrás de Sebastien Haller (Ajax), Robert Lewandowski (Bayern Munique), ambos com nove, e Christopher Nkunku, que soma sete.

A decisão pelo segundo lugar do Grupo B e consequente continuidade na prova ‘milionária’ fica, assim, agendada para 07 de dezembro, na derradeira jornada da fase de grupos da competição.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página