loading

Crónica: Portugal foi mais forte do que a Espanha e está nas meias-finais

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

O Benfica precisa de fazer uma revolução no plantel para a próxima época?

A seleção portuguesa de sub-17 venceu hoje a congénere da Espanha por 2-1, resultado escasso para a superioridade que revelou sobre a seleção espanhola, e qualificou-se para as meias-finais do Campeonato da Europa.

Crónica: Portugal foi mais forte do que a Espanha e está nas meias-finais

A ‘equipa das quinas’ redimiu-se da paupérrima exibição que fez frente à Dinamarca, no último jogo do Grupo D, em que perdeu, e bem, por 3-1, derrota essa que custou o primeiro lugar e quase a eliminação da prova.

A Espanha até entrou mais forte no jogo e a pressionar a seleção lusa, mas sofreu um golo logo aos nove minutos, por Afonso Moreira, a aproveitar um erro defensivo dos espanhóis, com uma boa execução, quer no domínio da bola com o peito. quer na finalização com o pé esquerdo.

A eficácia lusa teve um efeito imediato na equipa, que passou a estar, claramente, por cima no jogo, mas, contra a corrente do mesmo, os espanhóis chegaram ao empate aos 17 minutos, por Javier Boñar, a ‘destapar’ as fragilidades da defesa portuguesa, que seriam evidentes noutros momentos da partida.

A Espanha voltou a ter mais bola após o golo do empate e dispôs de uma oportunidade soberana para passar para a frente do marcador, aos 30 minutos, mas Miguel Carvalho falhou incrivelmente uma recarga fácil, após defesa de Diogo Fernandes.

No entanto, a equipa portuguesa mandou no último quarto de hora da primeira parte, graças a uma pressão alta na primeira fase de construção de jogo dos espanhóis, que sentiram grandes dificuldades para sair a jogar, com perdas de bola comprometedoras, para circular a bola e impor o seu jogo baseado na posse que é característico de todos os seus escalões.

O melhor período da seleção portuguesa coincidiu com os primeiros 20 minutos da segunda parte, altura em que criou e desperdiçou três oportunidades soberanas, aos 54, 56 e 58, com Dinis Rodrigues a acertar na trave, quando já se gritava golo, e Ivan Lima, por duas vezes, na cara do golo a rematar ao lado e por cima da barra, respetivamente.

Quando o central espanhol meteu a mão para intercetar o remate de Afonso Moreira na área, fazendo penálti, que seria concretizado por Dinis Rodrigues, aos 63 minutos, já Portugal merecia ter chegado ao golo bem antes.

A Espanha reagiu, como seria expectável, empurrou a seleção lusa para as imediações da sua área, teve uma oportunidade flagrante de empatar aos 89 minutos, por Álvaro Hernández, que entrara a render Guerrero, aos 77, de cabeça, na pequena área, mas a pressão espanhola careceu quase sempre de discernimento e assentou em muitos cruzamentos para a área que a defesa portuguesa foi resolvendo com maior ou menor dificuldade.

Na sequência desta vitória, Portugal apurou-se para as meias-finais, nas quais vai defrontar a França, que eliminou a Alemanha nos penáltis, enquanto a seleção dos Países Baixos enfrentará a Sérvia, na outra ‘meia’.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Na Primeira Página