loading

Marítimo: Vasco Seabra quer o ‘caldeirão’ consistente e a «ferver»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem tem o melhor plantel para 'atacar' o título?

O treinador do Marítimo pretende que o estádio da única equipa madeirense da I Liga “ferva com regularidade” em vésperas de receber o recém-promovido Desportivo de Chaves.

Marítimo: Vasco Seabra quer o ‘caldeirão’ consistente e a «ferver»

“É o nosso objetivo, que seja uma época de afirmação do nosso estádio. Queremos que seja um ‘caldeirão’ consistente e que ‘ferva’ com regularidade”, destacou o técnico ‘verde rubro’ na antevisão ao embate ante os flavienses.

No defeso, o Marítimo procedeu à substituição de todo o relvado e colocação de uma nova drenagem e equipamento de rega mais moderno, para colocar um ponto final nos problemas apresentados pelo ‘tapete’ na temporada transata onde chegou a estar interdito ao fim de duas jornadas disputadas.

A estreia do novo pavimento, aquando da apresentação do plantel para a época 2022/23 diante do Santa Clara no passado mês de julho, não correu de feição aos ‘verde rubros’, apresentando-se ainda na primeira parte do encontro muito danificado, com relva levantada e buracos na superfície.

“É um processo que leva sempre o seu tempo. Foi um investimento muito grande do clube. É uma vontade muito grande que o relvado esteja o melhor possível. Não o voltámos a pisar após o encontro com o Santa Clara, por isso, acreditamos que já vai ter melhorias”, revelou Vasco Seabra, sublinhando que “dentro de pouco tempo será um dos melhores relvados da I Liga”.

Sobre o adversário da segunda jornada garante tratar-se de uma equipa com bons executantes, que mantém o treinador e que se rege sob uma boa ideia de jogo.

“É uma equipa com muita qualidade individual. Subiu, inclusivamente, tendo um ‘play-off’ contra uma equipa de primeira divisão [Moreirense], que venceu e, por isso, é uma equipa que está preparadíssima para competir na I Liga”, destacou.

Os visitantes chegam à Madeira com uma derrota tangencial (0-1) diante do Vitória de Guimarães. Vasco Seabra admitiu que o “adversário audaz e difícil de ultrapassar fez muito para merecer outro resultado”.

A jornada inaugural também não foi benéfica para os madeirenses, que deram o pontapé de saída diante do campeão em título, saindo do Estádio do Dragão com uma derrota pesada (5-1).

“Todos temos consciência que quando ganhamos por um, dois, três as coisas não estão todas bem, como quando perdemos as coisas não estão todas mal. Agarramo-nos às coisas boas no sentido de reforçar e olhamos para as más no sentido de as querermos corrigir”, frisou o treinador natural de Paços de Ferreira.

O Marítimo oficializou esta semana o extremo António Zarzana, a sétima contratação para a presente edição da I Liga, mas Vasco Seabra admitiu que enquanto o mercado não fechar o plantel mantém-se em aberto, em caso de possíveis entradas, saídas ou “uma oportunidade que possa acrescer qualidade ao plantel”.

O ‘timoneiro’, de 38 anos, garante que o desejo de todos os seus homólogos passa pelo fecho do mercado antes do arranque da primeira jornada, “porque todos querem se focar naquilo que é o essencial, os jogos”.

Abordado sobe a possível saída do avançado Joel, o treinador do conjunto insular, garante que o clube terá de voltar ao mercado, apesar dos bons indicadores do ponta de lança venezuelano Jesús Ramírez, cedido pelos mexicanos de CA Morelia.

O Marítimo recebe esta segunda-feira, às 15:30, o Chaves para a segunda ronda da I Liga portuguesa de futebol, com arbitragem de Ricardo Baixinho, da Associação de Lisboa.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Na Primeira Página