loading

"Antes falavam inglês, depois deixaram de saber falar inglês"

Desde a sua chegada ao Benfica na época passada, Roger Schmidt, treinador alemão conhecido pelo seu estilo de jogo ofensivo e vibrante, tem enfrentado uma série de desafios que vão além das quatro linhas.

"Antes falavam inglês, depois deixaram de saber falar inglês"
Benfica

"Quantas vezes o André Villas-Boas falou russo ou chinês por onde andou?", questiona conhecido adepto do Benfica.

As críticas incidem não apenas nas opções táticas do treinador germânico, mas também na sua comunicação e adaptação ao contexto do futebol português.

Roger Schmidt, conhecido pelo seu estilo de jogo arrojado, tem encontrado dificuldades em conquistar a totalidade do apoio dos adeptos encarnados, uma vez que a equipa encarnada tem oscilado entre boas exibições e momentos menos convincentes, levantando questões sobre a consistência da equipa.

As opções táticas de Schmidt, que muitas vezes prescindem de uma referência ofensiva tradicional, também têm sido alvo de críticas, especialmente quando os resultados não são os desejados.

Além dos desafios táticos, a comunicação de Roger Schmidt tem sido alvo de análise e crítica. Nos últimos tempos, o treinador alemão protagonizou momentos de tensão nas conferências de imprensa, especialmente relacionados com a língua utilizada.

Inicialmente, as perguntas eram feitas em inglês ou alemão, mas num dado momento, os jornalistas decidiram questionar o treinador em português, que agora tem que usar um aparelho tradutor para poder responder às questões.

"Eu acho que as birras têm que ser resolvidas dos dois lados"

Contudo, a falta de tradução em algumas situações levou à não realização de algumas conferências de imprensa, algo que tem gerado desconforto e especulação na imprensa desportiva.

Mauro Xavier, gestor e conhecido adepto do Benfica, saiu em defesa de Roger Schmidt, apontando que as "birras" devem ser ultrapassadas por ambas as partes.

"Eu acho que as birras têm que ser resolvidas dos dois lados", começou por dizer o comentador, em declarações na CMTV.

O gestor deixou também uma critica á imprensa desportiva, referindo que anteriormente os jornalistas falavam em inglês nas conferências do técnico, mas agora parecem ter perdido essa habilidade.

"Antes falavam inglês, depois deixaram de saber falar inglês. Quantas vezes o André Villas-Boas falou russo ou chinês por onde andou?", questionou Mauro Xavier, citado pelo jornal 'Bancada.pt'.

O adepto do atual campeão nacional destacou ainda que o foco de Schmidt deve estar no trabalho da equipa e no rendimento desportivo, em vez de andar a aprender a falar português para lidar com a imprensa desportiva nacional.

"Não podemos ter dois pesos e duas medidas. O Marcel Keizer falava português fluentemente", rematou, de forma irónica, o comentador.

Também Diamantino Miranda, antigo capitão do Benfica, aconselhou os jornalistas a questionarem Schmidt em alemão, o idioma nativo do técnico.

O agora comentador criticou ainda a atitude de alguns jornalistas, afirmando que as perguntas dirigidas ao treinador alemão são sempre mais complexas em comparação com outros treinadores.

"Em comparação com os outros treinadores, ao Schmidt são sempre perguntas muito mais complicadas", afirmou recentemente Diamantino Miranda.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Para si

Na Primeira Página

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem será o próximo presidente FC Porto?