loading

Comentário: Benfica incapaz de dar luta ao Bayer Leverkusen

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem vence a Liga dos Campeões 2021-2022?

O Benfica colocou-se hoje numa posição muito delicada no Grupo C da Liga dos Campeões em futebol, ao sofrer o segundo desaire (3-1), no reduto do Bayer Leverkusen, que foi claramente superior.

Comentário: Benfica incapaz de dar luta ao Bayer Leverkusen

Num embate em que pouco mais fez do que o golo, apontado pelo argentino Salvio, aos 62 minutos, o conjunto de Jorge Jesus “afundou-se” no quarto lugar do agrupamento, a quatro pontos de Zenit e AS Mónaco e a três dos germânicos.

Stefan Kiessling, aos 25 minutos, o sul-coreano Son Heung-Min, aos 34, e o turco Hakan Çalhanoglu, aos 63, na sequência de uma grande penalidade inexistente, apontaram os tentos dos anfitriões, que podiam ter triunfado por mais.

Em relação o triunfo por 3-2 no Estoril, Jesus procedeu a quatro alterações, trocando o castigado Artur e ainda Maxi, Samaris e Lima, todos relegados para o banco, por Júlio César, que recuperou de lesão, André Almeida, Cristante e Derley.

A formação alemã entrou dominadora, ao ataque, instalou-se no meio campo luso e efetuou cinco remates nos primeiros 15 minutos, dois deles muito perigosos, por Son Heung-Min, aos cinco, e Lars Bender, que atirou ao poste direito, aos 14.

Com o Benfica incapaz de sair a jogar, também por culpa da pressão dos germânicos, o Bayer acabou, como era inevitável, por inaugurar o marcador, aos 25 minutos: o sul-coreano Son rematou, Júlio César largou e Kiessling marcou na recarga.

O golo não mudou nada, pois os germânicos continuaram a “mandar” em absoluto, para chegarem ao segundo tento nove minutos volvidos, aos 34, com Bellarabi a centrar atrasado da direita e Son, solto, a faturar sem dificuldades.

Até ao intervalo, Enzo Perez efetuou, finalmente, aos 39 minutos, o primeiro remate dos “encarnados”, mas, já em período de descontos, o “omnipresente” coreano surgiu isolado pela esquerda e esteve perto do “bis”.

Para a segunda parte, Jesus fez duas alterações, retirando Cristante e Talisca e colocando em campo Maxi Pereira e Lima, o que implicou a passagem de André Almeida para “trinco”.

O Benfica não conseguiu, porém, melhorar a sua prestação e, aos 51 minutos, o Bayer Leverkusen esteve muito perto do terceiro golo, que só não aconteceu devido a um falhanço escandaloso de Hakan Çalhanoglu.

Mas, aos 62 minutos, e mesmo sem o justificar, o conjunto “encarnado” logrou reentrar na discussão do resultado, numa jogada de envolvência concluída por Salvio, com um remate colocado, rasteiro, junto ao poste esquerdo.

O sonho com um resultado positivo em Leverkusen morreu, no entanto, na jogada seguinte, depois de um dos assistentes de Atkinson transformar uma queda de Kiessling em penálti, que Hakan Çalhanoglu converteu com classe.

Até ao final, as duas equipas terão sentido que o encontro estava resolvido e este arrastou-se sem grandes motivos de interesse, com a melhor ocasião ainda a pertencer aos alemães, quando Kiessling se isolou, aos 73 minutos.

Programa da jornada:

Terça-feira, 30 de Setembro de 2014
CSKA - Bayern München, 0 - 1
Schalke 04 - Maribor, 1 - 1
Apoel - Ajax, 1 - 1
Man City - Roma, 1 - 1
PSG - Barcelona, 3 - 2
Shakhtar - FC Porto, 2 - 2
BATE Borisov - Athletic Bilbao, 2 - 1
Sporting - Chelsea, 0 - 1

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014
Zenit - Monaco, 0 - 0
Arsenal - Galatasaray, 4 - 1
Atlético Madrid - Juventus, 1 - 0
Leverkusen - Benfica, 3 - 1
Malmo - Olympiakos, 2 - 0
Basel - Liverpool, 1 - 0
Ludogorets - Real Madrid, 1 - 2
Anderlecht - Dortmund, 0 - 3

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Na Primeira Página