loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

RTP, SIC, TVI e CMTV contra restrição dos clubes no acesso à informação

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

A restrição de acesso dos jornalistas às fontes oficiais de informação em instituições desportivas, fez com que os canais de televisão RTP, SIC, TVI e CMTV se insurgissem contra esta medida, alertando para os riscos deste comportamento para a liberdade de informar.
RTP, SIC, TVI e CMTV contra restrição dos clubes no acesso à informação

“Em Portugal, várias instituições desportivas, com proeminência evidente do futebol, têm optado, recentemente, por um caminho de restrição do acesso dos jornalistas às fontes oficiais de informação e aos seus protagonistas”, pode ler-se no comunicado conjunto emitido pelos quatro canais e subscrito por Paulo Dentinho, diretor de informação da RTP, Ricardo Costa, diretor geral de informação do Grupo Impresa, Sérgio Figueiredo, diretor de informação da TVI e Otávio Ribeiro, diretor da CMTV.

No mesmo texto, os quatro canais alertam para “os riscos deste caminho e deste comportamento, no que à liberdade de informar diz respeito” e consideram que as entrevistas, conferências de imprensa ou declarações com direito a perguntas “não podem ser substituídas por momentos de comunicação em espaços de conforto que não cumprem as regras do jornalismo”.

Em nome do respeito que os espetadores merecem e pela certeza de que o jornalista, como mediador do espaço público, é um garante do pluralismo, RTP, SIC, TVI e CMTV exigem “ter acesso às fontes oficiais de informação e aos protagonistas e recusam funcionar como amplificador da comunicação disponibilizadas pelos canais (televisivos ou eletrónicos) oficiais dos clubes ou instituições, canais esses legítimos, mas que não substituem o exercício do jornalismo”.

“A liberdade de acesso e de ação dos órgãos de comunicação social aos acontecimentos que se revestem de importância noticiosa está consagrada na lei”, recordam os responsáveis pelos quatro canais, para quem “o exercício do jornalismo, em toda a sua liberdade e extensão, é uma garantia das sociedades democráticas e abertas”.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página