Caro visitante,

Reparámos que tem um Ad Blocker (software de bloqueio de publicidade) ativo.

A informação tem valor. O Futebol 365 disponibiliza todos os seus conteúdos de forma gratuita e de livre acesso. Os anúncios ajudam-nos a pagar a informação que consulta todos os dias. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker apenas para o Futebol 365.

Esperamos a sua compreensão.

Obrigado.
Futebol 365
Cerca de 100 treinadores portugueses apostam no 'sonho chinês' para o futebol
por José Pestana c/Lusa, publicado a 24-06-2018 às 09:07
Cerca de 100 treinadores portugueses apostam no 'sonho chinês' para o futebol
Nascido em Arganil, distrito de Coimbra, Gonçalo Figueira é treinador de futebol em duas escolas públicas de Pequim, parte de uma vaga de técnicos portugueses que rumou à China, atraídos pelo 'sonho chinês' para a modalidade.

"Como ganhámos o campeonato europeu, a China olha hoje para nós como uma grande potência do futebol", explica Figueira, 31 anos. "Isso valoriza o treinador português", diz.

De acordo com a contagem da agência Lusa, quase 100 treinadores portugueses de futebol vivem hoje no país asiático, desde a província de Jilin, na fronteira com a Coreia do Norte, à ilha tropical de Hainan, no extremo sul do país.

Alguns são contratados por clubes e outros estão integrados no sistema de ensino público, que incluiu em 2015 a modalidade no desporto escolar, parte de um "plano de reforma do futebol" decretado pelo governo, visando elevar a seleção chinesa ao estatuto de grande potência.

País mais populoso do mundo, com quase 1.400 milhões de habitantes - mais do dobro de toda a União Europeia -, a China ocupa o 75.º lugar do 'ranking' da FIFA, atrás de Cabo Verde, Burkina Faso e muitas outras pequenas nações em vias de desenvolvimento. A única participação do país asiático num mundial foi em 2002.

O 'sonho chinês' para o futebol, anunciado pelo presidente Xi Jinping, passa por três etapas: qualificar-se para a fase final do mundial, organizar um mundial e vencê-lo, em meados deste século.

O ensino público assume especial importância na formação de jogadores de futebol na China, onde existem pouco mais de 100 clubes - só no distrito do Porto, por exemplo, há cerca de 450.

Para Chen Tao, responsável pelo departamento de educação física de uma das duas escolas onde Gonçalo Figueira leciona, o "mais importante" agora é "fazer com que os miúdos gostem de futebol".

"No futuro, o plano é dar aos melhores na modalidade acesso privilegiado a escolas de topo", como forma de "motivar" os atletas, revela.

O poder financeiro do país asiático, a segunda maior economia mundial, garante que técnicos portugueses continuarão a rumar ao país.

"A nível monetário sem dúvida que compensa", afirma Figueira, que tem um mestrado em treino desportivo especializado em futebol, pela Faculdade de Motricidade Humana, e chegou a Pequim em abril de 2017.

"Eu não acredito que hajam treinadores a ganhar tanto como eu na II liga [portuguesa]", acrescenta. "E eu trabalho com escolas e eles com equipas profissionais".

Só a academia de futebol do Shandong Luneng, uma das mais prestigiadas da China, que acolhe 300 jovens futebolistas, e inclui 36 campos relvados, escola, restaurantes e hospital, conta com oito portugueses nos quadros. O coordenador técnico é o antigo diretor técnico da Federação Portuguesa de Futebol Francisco Silveira Ramos.

Já na Superliga chinesa competem os treinadores portugueses Paulo Bento (Chongqing Dangdai Lifan), Vítor Pereira (Shanghai SIPG) e Paulo Sousa (Tianjian Quanjian), enquanto no Mundial da Rússia, pela primeira vez, a seleção portuguesa inclui um jogador que compete na China: José Fonte, do Dalian Yifang, titular contra Espanha e Marrocos.

Poucos meses após chegar à capital chinesa, Gonçalo Figueira ganhou o campeonato do distrito de Haidian (norte de Pequim) com uma das suas escolas, numa conquista inédita para aquele estabelecimento de ensino.

"Usámos métodos que os miúdos não estavam habituados e isso notou-se: houve uma evolução clara na tática e posicionamento", descreve.

"Para eles, futebol era ir atrás da bola", conta. "Não tinham noção do que é jogar sem bola, ou correr só o necessário".

Siga-nos no Facebook, no Google+ e no Twitter.
Notícias Relacionadas
Comentários
JOGOS E RESULTADOS
loading
A carregar...
F365 NO FACEBOOK
SONDAGEM
Acredita que o FC Porto tenha comprado os e-mails do Benfica a Rui Pinto?
FORA DE JOGO
Piloto Sérgio Leitão morre após acidente no campeonato nacional de velocidade
Piloto Sérgio Leitão morre após acidente no campeonato nacional de velocidadeO piloto Sérgio Leitão morreu hoje na sequência de um acidente sofrido durante uma corrida ...
Luka Modric chega a acordo com justiça espanhola na acusação de fraude fiscal
Luka Modric chega a acordo com justiça espanhola na acusação de fraude fiscalO futebolista croata Luka Modric chegou a acordo a justiça espanhola na acusação de fraude ...
Jackpot de 138 milhões de euros no próximo sorteio do Euromilhões
Jackpot de 138 milhões de euros no próximo sorteio do EuromilhõesO próximo concurso do Euromilhões terá um 'jackpot' de 138 milhões de euros, por nenhum ...
Futebol na Televisão: Os jogos que pode ver durante este fim-de-semana
Futebol na Televisão: Os jogos que pode ver durante este fim-de-semanaConfira a lista dos jogos que poderá acompanhar em direto, durante este fim-de-semana, nos canais ...
© 1997-2018 Futebol 365
Todos os direitos reservados