loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Bottas conquista «pole position» e mantém domínio da Mercedes no GP da Rússia

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

A Liga fez bem em suspender as competições profissionais devido à Covid-19?

O finlandês Valtteri Bottas conquistou hoje a ‘pole position’ para o Grande Prémio da Rússia de Fórmula 1, 16.ª prova do Mundial, ao bater o seu companheiro de equipa na Mercedes, o britânico Lewis Hamilton, por 0,145 segundos.
Bottas conquista «pole position» e mantém domínio da Mercedes no GP da Rússia

O finlandês, quarto da classificação de pilotos, nunca foi batido por um companheiro de equipa nas cinco edições em que a prova se realiza no circuito de Sochi e hoje manteve a tradição.

Bottas começou por deixar Lewis Hamilton a apenas 0,004 segundos mas conseguiu uma derradeira volta ainda mais consistente, cimentando o primeiro lugar na tabela de tempos, naquela que vai ser a sua a segunda ‘pole’ da temporada.

O traçado russo é um dos mais rápidos do campeonato, com a reta da meta de um quilómetro, e isso tem favorecido a equipa germânica, que venceu sempre na Rússia. Os dois Ferrari ficaram a mais de meio segundo. O alemão Sebastian Vettel desta vez bateu o seu colega, o finlandês Kimi Raikkonen, mas já a 0,556 segundos de Bottas.

Segundo o diretor da Mercedes, Toto Wolff, este resultado torna mais difícil o planeamento da estratégia de corrida.

"Será mais difícil impor ordens de equipa", assumiu Wolff, numa opinião corroborada por Bottas, que referiu que, “partindo da pole, não pode haver outro objetivo" a não ser vencer a corrida.

Já Vettel mostrou-se desagradado com o facto de os responsáveis do circuito russo terem asfaltado apenas parte da reta da meta.

"Isso faz com que apenas os carros das três primeiras filas da grelha estejam colocados em asfalto novo. Deveria ter sido feito em toda a extensão da reta", comentou o alemão, segundo na classificação de pilotos, a 40 pontos de Hamilton.

Para o final da grelha foram relegados os dois Red Bull e os dois Toro Rosso, por alteração da unidade de potência dos seus carros. Mas, na primeira fase da qualificação, tanto Max Verstappen como Daniel Ricciardo mostraram mais rapidez nos seus Red Bull do que os dois Ferrari.

O Grande Prémio da Rússia é a 16.ª prova da temporada e está marcada para domingo, às 14:10 locais (12:10 em Lisboa).

Grelha de partida para o GP da Rússia:

1) Valtteri Bottas (Mercedes) 1’31.387s
2) Lewis Hamilton (Mercedes) 1’31.532s
3) Sebastian Vettel (Ferrari) 1’31.943s
4) Kimi Räikkönen (Ferrari) 1’32.237s
5) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) 1’33.181s
6) Esteban Ocon (Force India/Mercedes) 1’33.413s
7) Charles Leclerc (Sauber/Ferrari) 1’33.419s
8) Sergio Pérez (Force India/Mercedes) 1’33.563s
9) Romain Grosjean (Haas/Ferrari) 1’33.704s
10) Marcus Ericsson (Sauber/Ferrari) 1’35.196s
11) Carlos Sainz (Renault) sem tempo
12) Nico Hülkenberg (Renault) sem tempo
13) Sergey Sirotkin (Williams/Mercedes) 1’35.612s
14) S.Vandoorne (McLaren/Renault) 1’35.977s
15) Lance Stroll (Williams/Mercedes) 1’36.437s
16) Fernando Alonso (McLaren/Renault) 1’35.504s
17) Daniel Ricciardo (Red Bull/TAG Heuer) sem tempo
18) Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda) sem tempo
19) Brendon Hartley (Toro Rosso/Honda) 1’35.037s
20) Max Verstappen (Red Bull/TAG Heuer) sem tempo

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página