loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

«Jorge Mendes é um parceiro do Sporting, como é uma quantidade enorme de agentes»

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Facebook

Outras Notícias

Sondagem

Acha que Frederico Varandas tomou a decisão certa ao despedir Marcel Keizer?

O vice-presidente e administrador do Sporting Francisco Salgado Zenha reconheceu esta terça-feira que Jorge Mendes é um parceiro do clube, sem o diferenciar de outros agentes, mesmo não tendo adquirido qualquer jogador ao empresário.
«Jorge Mendes é um parceiro do Sporting, como é uma quantidade enorme de agentes»

“O Jorge Mendes é um parceiro, como é uma quantidade enorme de agentes, porque sempre dissemos que trabalhamos com todos os agentes, mas defendendo os nossos interesses. (…) Por curiosidade, não comprámos nenhum jogador com o Jorge Mendes, só vendemos, e contribuiu nas operações de Rui Patrício, Gelson Martins, Daniel Podence e Thierry Correia”, afirmou Salgado Zenha.

Em entrevista à agência Lusa, o dirigente ‘leonino’ realçou que estes negócios mediados por Mendes se revelaram “interessantes” para o clube.

Salgado Zenha disse encarar com naturalidade a proposta de aumento da remuneração para os administradores da SAD do Sporting, para 182 mil euros por ano para o presidente e 131 mil euros para os restantes elementos, que podem ser acrescidos de um montante variável, mediante a concretização de objetivos desportivos e financeiros.

“Não somos nós que decidimos, mas não sou hipócrita (…), faz sentido porque temos um estudo de ‘benchmarking’ que mostra que o agora sugerido é muito abaixo da mediana do mercado e, se formos ver, os administradores dos nossos rivais ganham mais do que nós, e não estou a falar de variáveis”, explicou Salgado Zenha, acrescentando que esta medida visa “atrair talento” para a administração.

Relativamente à época 2018/19, a mesma Assembleia-Geral da SAD, convocada para 01 de outubro, deverá ratificar a ausência de remuneração variável para os elementos da sociedade, que foi abdicada por todos os elementos, assim como os montantes a receber mensalmente pelo presidente Frederico Varandas (10.500 euros) e os três vogais da administração (7.000).

“Em primeiro, quem decide a política de remunerações é uma comissão acionista e, em segundo, esta direção prometeu manter os vencimentos da anterior e recebeu menos, porque abdicaram do ‘bolo’ dos prémios coletivos indexados aos resultados desportivos”, reiterou.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Comentários

Na Primeira Página

Pode gostar de ler