loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Crónica: Sporting de Braga com segundas linhas bate Vitória de Setúbal

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

A Liga fez bem em suspender as competições profissionais devido à Covid-19?

O Sporting de Braga venceu hoje de forma 'suada', mas justa, o Vitória de Setúbal por 3-1, em jogo da 22.ª jornada da I Liga de futebol, em que o seu treinador mudou quase toda a equipa.
Crónica: Sporting de Braga com segundas linhas bate Vitória de Setúbal

Rúben Amorim fez oito alterações em relação à equipa que começou a partida com o Rangers, na quinta-feira, mantendo apenas o guarda-redes Matheus e os defesas Sequeira e Bruno Viana, a pensar na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, já na quarta-feira, em Braga.

A equipa pagou a 'fatura' de tantas mudanças com uma primeira parte muito pouco conseguida, mas subiu o nível da exibição na segunda e Ricardo Horta inaugurou o marcador aos 63 minutos, tendo Bruno Wilson feito o segundo aos 75. Os sadinos reduziram perto do final, por Ghilas (89) e, no último lance da partida, após um canto favorável aos sadinos com o guarda-redes Makaridze a tentar a sua sorte na área minhota, Trincão percorreu quase todo o campo e fechou as contas (90+7).

Os bracarenses seguraram o terceiro lugar e seguem invencíveis internamente - já não perdem para o campeonato desde 15 de dezembro (1-0, em casa, com o Paços de Ferreira), tendo desde então somado um empate e sete vitórias.

Já o Vitória de Setúbal somou o quarto jogo seguido sem ganhar (três derrotas e um empate), tendo deixado algumas boas indicações na primeira parte, mas reagiu demasiado tarde na segunda.

O Sporting de Braga entrou melhor e, logo aos sete minutos, André Horta atirou com muita força, mas por cima e, pouco depois, Ricardo Horta 'disparou' de primeira após belo passe de Galeno (16).

No minuto seguinte, Ghilas ficou perto do golo, mas Matheus defendeu bem o seu cabeceamento.

A meio da primeira parte, surgiu uma contrariedade para Rúben Amorim, com Sequeira a lesionar-se (e a poder falhar o jogo europeu de quarta-feira) e a ser substituído por Pedro Amador, que assim se estreou vindo da equipa B.

O Braga sentia cada vez mais dificuldades em ligar o jogo - André Horta e João Novais mostraram muita falta de ritmo -, mas ainda assim conseguiu criar boas ocasiões para marcar, mas Rui Fonte e Galeno finalizaram mal (31 e 35).

O Vitória foi subindo de produção e acabou a primeira parte em cima da equipa minhota, tendo mesmo chegado a introduzir a bola na baliza de Matheus, mas o golo foi invalidado por fora de jogo de Ghilas (40).

Trincão entrou aos 55 minutos e o extremo esteve na origem do golo, ao solicitar Galeno na direita, que depois cruzou atrasado para Ricardo Horta fazer o que poucos fazem com tanta qualidade: remate de primeira, rasteiro e colocado (63), materializando o seu 18.º golo da temporada.

Júlio Velázquez lançou Eber Bessa e Antonucci (71), mas seria o Braga a dilatar o resultado, com Bruno Wilson, num excelente cabeceamento após canto de João Novais (75).

Ghilas ainda reduziu aos 89 minutos, após grande passe de Éber Bessa, mas foi Trincão a fazer o último golo da partida.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página