loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19: Número de casos na Guiné-Bissau sobe para 1.114, incluindo cinco militares da Ecomib

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O número de infeções por covid-19 na Guiné-Bissau aumentou hoje para 1.114, depois de terem sido registados cinco novos casos em militares da força de interposição da Ecomib, divulgou hoje o Centro de Operações de Emergência de Saúde.
Covid-19: Número de casos na Guiné-Bissau sobe para 1.114, incluindo cinco militares da Ecomib

"Foram registados cinco novos casos em militares da Ecomib. As análises foram feitas por uma equipa médica do Senegal, mas os dados são adicionados aos da Guiné-Bissau, porque aqueles militares estão no país", afirmou o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES), Dionísio Cumba.

Segundo o médico guineense, o Laboratório Nacional de Saúde Pública não realizou análises nas últimas 24 horas devido à falta de placas, que devem chegar no avião que transporta o corpo do antigo Presidente guineense Serifo Nhamadjo, e que deve chegar a Bissau ainda hoje.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, ordenou no início de março, após ter tomado posse, o acantonamento da força de interposição da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (Ecomib), que está estacionada no país desde 2012, na sequência de um golpe de Estado.

A missão daquela força militar terminou no final de março, mas o encerramento de fronteiras no âmbito do combate à covid-19 impediu a sua saída do país.

Em relação aos casos mais preocupantes, Dionísio Cumba disse que há uma contaminação por covid-19 registada na região de Bafatá.

"Trata-se de uma mulher de 40 anos que foi para aquela zona. A equipa sanitária da zona de Bafatá está desde ontem [quinta-feira] a trabalhar, já coletou cinco amostras de pessoas que estiveram próximas da mulher, mas há muita resistência por parte dos familiares da mulher, que se recusam a colaborar", afirmou.

Em relação a Bissau, o número de internados no Hospital Nacional Simão Mendes 18 pessoas, 11 das quais a precisar de oxigénio.

No hospital de Cumura estão 21 pessoas internadas e há falta de oxigénio.

Sobre as pessoas que estão confinadas em hotéis, o médico disse que está a ser feito um esforço para enviar as pessoas para as suas casas.

"Ainda há alguma dificuldade de alimentação, mas hoje as coisas estão regularizadas", disse.

Dionísio Cumba manteve o número de recuperados em 42 e de vítimas mortais em seis.

No âmbito do combate à pandemia, o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, decretou o estado de emergência, até 26 de maio, e o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00 no país.

Além daquelas medidas, as pessoas só podem circular entre as 07:00 e as 14:00 locais.

Em África, há 3.089 mortos confirmados, com mais de 99 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.114 casos e seis mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (719 casos e sete mortos), Cabo Verde (362 casos e três mortes), São Tomé e Príncipe (269 casos e 11 mortos), Moçambique (162 casos) e Angola (60 infetados e três mortos).

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com mais de 20.000 mortes e mais de 310.500 infeções.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,9 milhões de doentes foram considerados curados.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página