loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Taça de Portugal: Veríssimo bateu FC Porto num dos raros jogos pelo Benfica

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

Nélson Veríssimo enfrenta no sábado o mais importante jogo da sua curta carreira de treinador, a final da Taça de Portugal, frente ao FC Porto, clube que derrotou num dos raros jogos na equipa principal dos ‘encarnados’.
Taça de Portugal: Veríssimo bateu FC Porto num dos raros jogos pelo Benfica

Formado na Luz, Veríssimo, então com 18 anos, atuava na formação de juniores na temporada de 1995/96, mas teve a oportunidade de cumprir três encontros na equipa principal, o suficiente para ter no currículo um triunfo face aos ‘dragões’.

No terceiro jogo consecutivo que disputou, o central ajudou o Benfica a bater o FC Porto por 2-1, em encontro da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no Estádio da Luz, em Lisboa, em 23 de março de 1996.

Após ter sido titular, como lateral direito, face ao Desportivo de Chaves (2-0 na 25.ª ronda, em 09 de março de 1996) e no reduto do Leça (0-0 na 26.ª), o ‘velho capitão’ Mário Wilson deixou Veríssimo fora do ‘onze’ face aos portistas.

O técnico que tinha substituído bem cedo na época Artur Jorge escolheu um quarteto defensivo com Calado, Ricardo, Hélder e Pedro Henriques, à frente de Michel Preud’homme.

Os ‘encarnados’ marcaram primeiro, aos 14 minutos, num penálti concretizado pelo brasileiro Valdo, o compatriota Emerson ainda restabeleceu a igualdade, aos 51 minutos, mas, volvido um minuto, João Pinto recolocou as ‘águias’ no comando do marcador.

Mário Wilson lançou primeiro Edgar (72 minutos) e depois Marcelo (78), para, aos 83, colocar Veríssimo em campo, no lugar de Calado, numa altura em que a ordem era para defender e segurar os três pontos, o que foi conseguido.

Depois dos três jogos de 1995/96, o agora técnico só voltou a jogar mais uma vez na equipa principal do Benfica, na nona jornada do campeonato de 1996/97, época em que fazia parte do plantel do Alverca, então clube satélite dos ‘encarnados’.

O brasileiro Paulo Autuori chamou-o, porém, para a receção ao Boavista, da nona jornada, num embate que ficou marcado por arbitragem controversa de Isidoro Rodrigues.

O Benfica colocou-se em vantagem aos 30 minutos, pelo búlgaro Iliev, mas, aos 54, Hélder foi expulso por acumulação de amarelos, o que levou Autuori fazer entrar Veríssimo, para central, aos 61 minutos, por troca com o ponta de lança sueco Pringle.

Com 10 unidades, o Benfica conseguiu segurar a vantagem, mas, aos 80 minutos, o juiz viseense mostrou o vermelho direto a João Pinto, com Autori a ser igualmente expulso. Contra nove, o Boavista chegou ao empate (1-1), aos 85, por Jimmy.

Nessa época, em que cumpriu 20 jogos pelo Alverca (19 na II Liga e um na Taça de Portugal), não mais jogou pelo Benfica, concluindo, assim, invicto o seu percurso na equipa principal: duas vitórias e dois empates, em quatro jogos, dois disputados como titular e outros tantos como suplente utilizado.

Curiosamente, nas duas épocas em que jogou no Benfica, as ‘águias’ chegaram, como este ano, à final da Taça de Portugal, só que, ainda júnior, o central não foi opção no primeiro ano e, no segundo, jogou na competição pelo ‘satélite’ Alverca.

Veríssimo não esteve, assim, no centro das emoções do triunfo face ao Sporting, por 3-1, em 1995/96, numa final manchada pela morte de um adepto ‘leonino’, atingido por um ‘very light’ arremessado por um benfiquista.

Agora com 43 anos, o jovem técnico vai comandar, ainda invicto (quatro vitórias e um empate), o Benfica na final da Taça de Portugal, à procura do primeiro troféu na prova pelas ‘águias’, já que, há 24 anos, não cumpriu qualquer jogo na prova.

Benfica e FC Porto defrontam-se no sábado na final da 80.ª edição da Taça de Portugal em futebol, marcada para o Estádio Cidade de Coimbra, e para o Jamor, por culpa da pandemia de covid-19, que também inviabiliza a presença de público.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página