loading

Covid-19: China com 32 novos casos, incluindo cinco locais

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

A China identificou 32 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, cinco dos quais infeções locais, anunciaram hoje as autoridades chinesas.
Covid-19: China com 32 novos casos, incluindo cinco locais

Dos cinco casos locais, dois foram detetados na província de Jiangsu, onde surgiu um novo surto, nos últimos dias, tendo os restantes três sido diagnosticados nas províncias de Guangdong, Liaoning e Yunnan.

Os restantes 27 casos foram diagnosticados em viajantes oriundos do exterior, nos municípios de Xangai e Tianjin e nas províncias de Guangdong, Yunnan, Fujian, Mongólia Interior, Hunan, Henan, Sichuan e Gansu.

A Comissão de Saúde da China também indicou a deteção de 17 novas infeções assintomáticas (duas por contágio local, na província de Jiangsu, outras duas em Liaoning e as restantes “importadas”), embora Pequim só contabilize estes casos como confirmados se os pacientes manifestarem sintomas.

As autoridades chinesas informaram ainda que 21 pacientes tiveram alta.

O número total de casos ativos na China continental fixou-se assim em 692, entre os quais 17 em estado grave.

Desde o início da pandemia, a China registou 92.529 infeções e 4.636 mortos, de acordo com os dados oficiais.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4,1 milhões de mortos em todo o mundo, entre mais de 192,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.284 pessoas e foram registados 950.434 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página