loading

Crónica: Grande segunda parte só valeu empate com sabor a derrota na Turquia

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

Uma grande segunda parte, depois de uma primeira ‘falhada’, só valeu hoje a Portugal um empate, com sabor a derrota, na Turquia (1-1), na estreia no Grupo H de apuramento para o Mundial de futebol feminino de 2023.
Crónica: Grande segunda parte só valeu empate com sabor a derrota na Turquia

A formação de Francisco Neto foi melhor como ‘da noite para o dia’ após o intervalo, mas tudo o que fez só rendeu um golo, marcado por Jéssica Silva, aos 58 minutos, que ‘anulou’ o tento das turcas, apontado por Yagmur Uraz, aos 30.

Portugal pode queixar-se de si próprio, pelo que não fez na primeira parte, e pelas várias ocasiões que desperdiçou na segunda, na qual também teve pouca sorte, nos remates ao ‘ferro’ de Diana Silva (51 minutos) e Jéssica Silva (54).

Tatiana Pinto (81 minutos) e Kika Nazareth (90+1) também falharam por muito pouco, com a seleção lusa ainda a pode lamentar um lance aos 87, em que a árbitra francesa Maika Vanderstichel transformou um claro penálti num livre fora da área. Faltou o VAR.

Nas contas do apuramento, Portugal, que volta a jogar no domingo, em Israel, perdeu claramente dois pontos, frente a um adversário colocado 39 lugares abaixo no ‘ranking’ da FIFA, numa corrida a seis, que só apura diretamente o primeiro.

O encontro começou equilibrado e o primeiro remate com algum perigo aconteceu apenas aos 19 minutos, pela anfitriã Türkoglu, com resposta lusa em dose tripla, por Jéssica Silva, aos 20, e Diana Silva, aos 21 e 23, para defesas de Yaman.

A Turquia acabou por se adiantar no marcador aos 30 minutos, com Emine Ecem Esen a surgir solta na direita e, já na área, a desferir potente remate, com a bola a bater na barra e a sobrar para Yagmar Uraz, que atirou para o fundo da baliza.

O conjunto das ‘quinas’, em 4-3-3, respondeu de imediato, mas Carolina Mendes falhou duas vezes o desvio, aos 34 e 36 minutos, e, já quase sobre o intervalo, aos 44, foi a guarda-redes Inês Pereira a salvar Portugal, com os pés, após cabeceamento de Tag.

Em desvantagem, Francisco Neto fez uma dupla alteração ao intervalo, fazendo entrar Kika Nazareth e Andreia Jacinto para os lugares de Carolina Mendes e Fátima Pinto.

As melhorias na formação das ‘quinas’ foram imediatas e, num ápice, o empate esteve duas vezes iminente, mas Diana Silva acertou no poste esquerdo, aos 51 minutos, e Jéssica Silva cabeceou à barra, aos 54.

Portugal continuou a carregar e Diana Silva obrigou Yaman a grande defesa, aos 57 minutos, até que, aos 58, o mais do que merecido empate chegou: Joana Marchão isolou Diana Silva, que, sobre a esquerda, centrou para o desvio de Jéssica Silva.

Depois de 15 minutos ‘frenéticos’, Portugal não conseguiu manter o ritmo e só voltou a ‘despertar’ com nova alteração dupla do selecionador luso, que, aos 75, lançou Tatiana Pinto e Telma Encarnação, para os lugares de Andreia Norton e Diana Silva.

Telma Encarnação demorou segundos a cabecear ao lado e Tatiana Pinto, aos 81 minutos, obrigou a guarda-redes contrária a nova grande defesa.

Aos 87 minutos, aconteceu o lance que prejudicou claramente Portugal, já que Telma Encarnação foi carregada dentro da área e a árbitra francesa marcou a falta, mas fora, num livre direto que Joana Marchão atirou por cima.

Na parte final, a seleção lusa continuou a tentar tudo para chegar ao triunfo, perante uma Turquia que nada fez ofensivamente na segunda parte, mas, na melhor ocasião, aos 90+1 minutos, Kika cabeceou a rasar o poste esquerdo. E ‘voaram’ dois pontos.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página