loading

"Gyökeres era a peça que faltava ao Sporting para ser campeão outra vez"

O futebol português assistiu recentemente à partida de Bruno Wilson para os Estados Unidos, deixando o Vizela para se juntar ao San Jose Earthquakes na Major League Soccer (MLS).

"Gyökeres era a peça que faltava ao Sporting para ser campeão outra vez"
Sporting

"Com a chegada de Messi e de outros grandes jogadores que têm vindo para cá"

Com 21 jogos disputados esta época e 68 desde que chegou ao Vizela em 2021, o defesa de 27 anos deixou o clube português sem qualquer proposta de renovação em janeiro, optando por abraçar uma nova aventura do outro lado do oceano.

Em entrevista concedida à Bola Branca, programa desportivo da 'Rádio Renascença', o jogador explicou a sua saída do Vizela, as expectativas na MLS e prestou ainda uma homenagem ao avô, Mário Wilson, lenda do futebol português.

Recorde-se que Mário Wilson, falecido a 3 de outubro de 2016, chegou ao Sporting com apenas 19 anos, com a difícil missão de render o goleador Fernando Peyroteo, jogador angolano que havia terminado a carreira.

Em Alvalade, ganhou o campeonato nacional de 1950/51. Nas suas duas temporadas no clube verde e branco, Wilson fez 40 jogos e marcou 38 golos de leão ao peito.

"Acabou por ser uma surpresa, pelos vistos mudaram de ideias de um dia para o outro"

Quanto ao neto, Bruno Wilson, este tenta seguir as pisadas do avô, tentando na MLS relançar a sua carreira. O jogador destaca o interesse que sempre teve na liga norte-americana, especialmente com a chegada de grandes nomes como Messi.

A MLS representa uma liga em expansão, e Bruno Wilson acredita que este é o ambiente certo para valorizar as suas capacidades e destacar-se.

"É uma liga que eu já seguia, com a chegada de Messi e de outros grandes jogadores que têm vindo para cá. É uma liga em crescimento. É um futebol que acho que me vai valorizar e onde me vou destacar", começou por dizer o jogador ex-Vizela.

Ao mudar-se para os Estados Unidos, Bruno Wilson não perde de vista o seu principal objetivo: ser campeão da MLS. O jogador reconhece a competitividade da liga norte americana e destaca a diferença de mentalidade em comparação com o futebol português.

"O objetivo principal é ser campeão da MLS. Acho que não há tanta diferença como em Portugal. Aqui não, funciona de fora diferente, aqui qualquer clube pode ganhar títulos coletivos e individuais também, há prémios de melhor defesa e de melhor jogador", observou Wilson.

A saída do Vizela para o San Jose Earthquakes não foi uma decisão planeada, mas sim uma oportunidade que surgiu e que Bruno Wilson decidiu abraçar.

Apesar das circunstâncias inesperadas, o jogador está determinado a enfrentar os novos desafios de cabeça erguida e a deixar a sua marca na MLS.

"O Vizela disse-nos que preferia ter o meu rendimento desportivo até ao final da época e, eventualmente se eu saísse livre, eles preferiam essa situação do que me vender", revelou.

"Foi isso que ficou estabelecido. Depois, acabou por ser uma surpresa, pelos vistos mudaram de ideias de um dia para o outro", acrescentou o defesa.

"Não sinto o peso, é um orgulho ser filho e neto de quem sou"

A sua experiência no futebol português, representando clubes como o Sporting e o Braga B, preparou-o para este novo capítulo da sua carreira, onde espera destacar-se e contribuir para o sucesso da equipa. Contudo, o jogador não esconde que a sua meta era outra.

"Eu tinha essa meta, como é óbvio, quando estava no Sporting e no Braga B, inclusive estreei-me com 19 anos na equipa principal. É estar no tempo certo, é uma questão de oportunidade, antes não davam tantas oportunidades como agora. Isso é ótimo, valorizo muito isso", disse o jogador.

O momento atual do Sporting também não escapou à análise de Bruno Wilson, que vê o clube de coração como um forte candidato ao título.

Com a chegada de Viktor Gyökeres, o jogador acredita que o Sporting ganhou uma peça fundamental para reforçar a sua equipa e tornar-se ainda mais competitivo.

"O futebol é imprevisível, mas as probabilidades estão do lado do Sporting. Gosto muito de ver futebol, sou apreciador do jogo. Se me perguntassem agora quem seria o campeão português, responderia o Sporting", apontou Bruno Wilson.

"Com a vinda do Gyökeres para Portugal, sim, deu ainda mais qualidade, acho que era a peça que faltava ao Sporting para ser campeão outra vez", observou.

Por fim, Bruno Wilson não esquece o legado do seu avô e a influência que este teve na sua vida e carreira.

Mário Wilson é recordado como uma figura respeitada e amada por todos no mundo do futebol, um verdadeiro grande capitão que deixou uma marca dentro das quatro linhas.

"Não sinto o peso, é um orgulho ser filho e neto de quem sou. É uma motivação, um orgulho. É difícil chegar ao nível do meu avô e do meu pai… quero continuar o legado da família e deixá-los orgulhosos", destacou, com humildade, o defesa.

"Sei que não é fácil, principalmente chegar ao nível do meu avô. Além de ter sido jogador, teve carreira de treinador, quem sabe, ainda não me decidi quanto a isso. Acredito que isso vai acabar por acontecer", rematou Bruno Wilson.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Para si

Na Primeira Página

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Quem será o próximo presidente FC Porto?