Mundial-2014: Lisboa rejubila com golo de Varela após pesadelo de Dempsey

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O golo tardio de Varela, que valeu o empate a Portugal frente aos Estados Unidos (2-2), animou os adeptos presentes no Parque Eduardo VII, em Lisboa, depois de Dempsey ter transformado o sonho luso num pesadelo.
Mundial-2014: Lisboa rejubila com golo de Varela após pesadelo de Dempsey

O golo de Nani diante do Estados Unidos, logo a abrir encontro, acendeu a chama da esperança aos milhares de adeptos presentes no Futebol Park, em Lisboa, mas, aos 81 minutos, Dempsey fez roer as unhas a todos os presentes no recinto, que ainda acreditam no apuramento da equipa das “quinas" para os oitavos de final do Campeonato do Mundo que se realiza no Brasil.

Trajados a rigor, com o vermelho e o verde da bandeira portuguesa, foram gritando pela seleção lusa, manifestando maior fulgor sempre que o Bola de Ouro Cristiano Ronaldo aparecia no ecrã gigante montado no fundo do Parque Eduardo VII, bem junto à estátua do Marquês de Pombal.

Com o hino nacional a unir, em uníssono, as vozes de todos os quanto acreditavam que Portugal podia levar a melhor sobre a formação norte-americana, uma camisola gigante foi avançado sobre os espetadores, até que o árbitro argentino Nestor Pittana desse o sinal para o pontapé de saída que ficou a cargo dos comandados do alemão Jürgen Klinsmann.

Nos minutos iniciais, com a bola a pertencer a Portugal, foram ouvindo "olés", que depressa se tornaram num grito de euforia quando Nani, aos 05 minutos, recebeu a bola de Miguel Veloso, depois de Cameron ter sido incapaz de fazer o corte, bateu Tim Howard e colocou Portugal em vantagem.

Com a esperança devolvida em seguir para os “oitavos”, os nervos foram aumentando com o passar dos minutos, até porque os norte-americanos iam rematando sucessivamente à baliza de Beto, embora sem sucesso. Perto do intervalo, o "tiro" de Nani ao poste esquerdo da baliza de Tim Howard reaqueceu o ambiente e deu o mote para o segundo tempo.

Mais serenos, os espetadores de Lisboa soltaram uma estrondosa salva de palmas na altura do corte de Ricardo Costa sobre a linha de golo lusa, aos 56 minutos, a anular o remate de Bradley.

O silêncio tomou conta do recinto quando Jermaine Jones, aos 64 minutos, igualou o encontro com um remate de pé direito, à entrada da área portuguesa.

"Acredito que Portugal vai ganhar o jogo. A nossa equipa está mais confiante e o golo vai chegar", disse então à Lusa Fábio Silva, um dos milhares de portugueses que aplaudiu pouco depois a entrada de Varela para o lugar de Raúl Meireles.

No último quarto de hora, com o 1-1 a teimar no marcador e a agradar mais aos Estados Unidos do que a Portugal, o nervoso miudinho foi aumentando no Parque Eduardo VII até que Dempsey, com a barriga, fez temer o pior para os comandados de Paulo Bento.

O “sonho” renasceu ao cair do pano, quando já poucos acreditavam, no momento em que Varela, de cabeça, encontrou um "buraco" o golo, após assistência do “capitão” Cristiano Ronaldo e fez o 2-2.

Portugal e Gana, que somam um ponto no Grupo G, encontram-se na quinta-feira, em Brasília, a partir das 13:00 locais (17:00 em Lisboa), à mesma hora que Alemanha e Estados Unidos, que somam quatro pontos cada, vão defrontar-se em Recife.

Siga-nos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no Youtube.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página