loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: João Mário e Slimani agarram liderança do Sporting

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O Sporting conservou hoje a liderança da I Liga de futebol, ao vencer com tranquilidade no reduto do Paços de Ferreira, por 3-1, com um ‘bis’ de Slimani, em jogo da 19.ª jornada.

O internacional argelino chegou aos 16 golos no principal campeonato, ao marcar aos 63 e 84 minutos, em duas assistências de João Mário, outra das figuras do encontro, depois de Bruno César, aos 40, a passe de Slimani, ter inaugurado o marcador.

O tento de honra dos locais foi anotado de cabeça pelo inevitável Bruno Moreira, que reforçou o estatuto de melhor goleador português na prova, com 12 golos, na sequência de um lançamento lateral.

Com esta vitória sem contestação, o Sporting passou a somar 48 pontos e segurou a liderança, perdida por pouco tempo para o Benfica, segundo, com 46, e vencedor na receção ao Arouca (3-1), enquanto o Paços de Ferreira manteve 29 e pode ser alcançado no quinto lugar pelo Vitória de Guimarães, que vai jogar no domingo em casa do Belenenses.

A ausência do médio Andrezinho, por castigo, no Paços de Ferreira, foi colmatada com a entrada do extremo Barnes, recuando Diogo Jota para a posição ‘10’, numa estratégia ofensiva e para tentar surpreender o Sporting, em cuja equipa inicial alinhou Paulo Oliveira, em detrimento de Ewerton, comparativamente à última jornada.

A colocação de Wiiliam, alternando como terceiro central, em construção, oferecendo corredor aos laterais e libertando Adrien, ou à frente dos defesas, funcionando como ‘tampão’ e anulando Diogo Jota, a defender, foi importante na dinâmica de Jorge Jesus.

O Sporting foi sempre capaz de jogar entre as linhas defensivas do Paços, fosse mais em contenção, com Bryan Ruiz, ou em velocidade, pelas diagonais constantes de Bruno César ou Slimani, mas, em grande parte, pela mobilidade, capacidade de aceleração e de pensar o jogo de João Mário.

‘Sufocado’ pela pressão alta dos ‘leões’, o Paços não conseguia ter bola e procurou essencialmente explorar o contra-ataque, mas só por uma vez, aos 16 minutos, ameaçou a defesa dos ‘leões’ e mesmo assim o passe de Edson Farias para Bruno Moreira foi intercetado em esforço por Bruno César.

O extremo que o Sporting foi buscar ao Estoril-Praia foi decisivo na alteração do marcador, aos 40 minutos, ao ‘emendar’, na zona central, a assistência de Slimani, após um lançamento lateral executado rapidamente por Jeferson na esquerda, que surpreendeu os locais.

O merecido golo do Sporting podia ter surgido antes, mas Bryan Ruiz, por duas vezes, Paulo Oliveira, Slimani e Adrien falharam a pontaria na hora do remate ou viram os seus intentos travados por Marafona.

João Mário, por sua vez, esteve perto do segundo, aos 42, mas o remate, na área pacense, encontrou a trave da baliza pacense, numa primeira parte marcada ainda pela queda sem falta de Diogo Jota na área do Sporting, num despique com Naldo, aos 35, o que lhe valeu mesmo a amostragem de um cartão amarelo.

O Paços iniciou a segunda parte com o médio Christian no lugar de Barnes e Jota derivou para a ala, correspondendo ao formato normal da equipa, mas a toada de jogo não se alterou.

O Sporting chegou com naturalidade ao segundo golo. Após uma passe magistral de João Mário, a partir do grande círculo e por entre os centrais contrários, Slimani recebeu a bola isolado e fê-la passar entre as pernas de Marafona.

Na resposta, Hélder Lopes arrancou pela esquerda e serviu Bruno Moreira, na área, mas Rui Patrício ganhou o lance dividido, na sua primeira intervenção no jogo.

O Sporting tinha o jogo controlado e baixou a intensidade, mas o risco de um golo contrário, que viria a acontecer aos 82 minutos, num lançamento lateral, não teve praticamente efeitos, pois, praticamente na resposta, os visitantes fizeram o terceiro.

Slimani forçou o erro de João Góis, a bola sobrou para João Mário e este, depois de tirar um adversário da frente, assistiu o argelino, que se limitou a ‘encostar’, num jogo em que ainda houve tempo para Jorge Jesus proporcionar a estreia no campeonato ao italiano Ezequiel Schelotto.

Programa da jornada:

Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2016
V. Setúbal - Académica, 2 - 1

Sábado, 23 de Janeiro de 2016
Moreirense - Estoril, 1 - 3
U. Madeira - Nacional, 3 - 0
Benfica - Arouca, 3 - 1
Paços Ferreira - Sporting, 1 - 3

Domingo, 24 de Janeiro de 2016
Belenenses - V. Guimarães, 3 - 3
Sp. Braga - Rio Ave, 5 - 1
FC Porto - Marítimo, 1 - 0

Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2016
Tondela - Boavista, 1 - 2

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página