loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

I Liga: FC Porto segura figuras, Benfica bate recordes e Sporting soma ‘tarimba’

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

É justa a medida do Governo em autorizar o regresso I Liga e impedir a II Liga?

O recorde de investimento do Benfica, a manutenção dos futebolistas mais influentes no FC Porto e o ‘traquejo’ adicionado ao Sporting, ambos atentos às revelações da I Liga, sinalizam um mercado português a resistir aos efeitos da pandemia.
I Liga: FC Porto segura figuras, Benfica bate recordes e Sporting soma ‘tarimba’

Na ‘ressaca’ da oitava ‘dobradinha’, os ‘dragões’ conservam os habituais titulares e o treinador Sérgio Conceição, tendo recrutado algumas revelações do último campeonato, casos de Cláudio Ramos (ex-Tondela), Carraça (ex-Boavista), Zaidu (ex-Santa Clara) e o avançado Mehdi Taremi, um dos melhores marcadores, com 18 golos em 30 rondas.

Dos cinco reforços oficializados, apenas Evanilson (ex-Fluminense) veio do estrangeiro e representou a operação mais cara - 7,5 milhões de euros (ME) - do FC Porto, cujas restrições financeiras impostas pela UEFA abriram espaço à integração definitiva de diversos campeões europeus sub-19 ao longo de 2019/20, tendo em vista futuros ‘encaixes’.

Isso sucedeu já neste defeso com o médio Vítor Ferreira e o avançado Fábio Silva, que rumaram aos ingleses do Wolverhampton, o primeiro por empréstimo e com opção de compra de 20 ME, enquanto o segundo abandonou em definitivo do Dragão por 40 ME, num sinal da aproximação do empresário Jorge Mendes aos campeões nacionais.

O Benfica também só perdeu o guarda-redes Ivan Zlobin (Famalicão) e o extremo Andrija Zivkovic (PAOK), embora tenha revelado maior pujança na renovação do ‘onze’, graças a nomes sonantes como Everton Cebolinha (ex-Grêmio, por 20 ME), Pedrinho (ex-Corinthians, por 18 ME), Luca Waldschmidt (ex-Friburgo, por 15 ME) e Jan Vertonghen (ex-Tottenham).

Helton Leite chegou do Boavista (1,5 ME), Gilberto foi contratado ao Fluminense (três ME) e Diogo Gonçalves regressou por empréstimo do Famalicão, num verão distinguido pela contratação falhada do avançado Edinson Cavani e pelas esperanças depositadas no compatriota de setor Darwin Núñez (ex-Almería), estimadas em 24 milhões de euros.

A contratação mais cara da história do futebol português é sintomática do investimento sem precedentes do Benfica, cifrado em 81,5 ME, cuja redução na projeção de jovens talentos do Seixal não será alheia ao regresso de Jorge Jesus, que aponta à subida do nível competitivo, de forma a devolver troféus e dimensão europeia às ‘águias’.

Nessa ambição cresce o Sporting de Braga, à procura de estabilidade com Carlos Carvalhal e sem baixas significativas, tirando Francisco Trincão (FC Barcelona, por 31 ME), que se junta ao empréstimo de Pablo Santos (Hatayspor), ao fim das cedências de Wallace (Lazio) e João Palhinha (Sporting) e à despedida de Wilson Eduardo (Al Ain).

Os minhotos trouxeram reforços cirúrgicos a custo zero, desde logo os médios Al Musrati (ex-Vitória de Guimarães) e André Castro (ex-Goztepe), além das apostas atacantes em Iuri Medeiros (ex-Nuremberga), Guilherme Schettine (ex-Santa Clara) e no antigo extremo benfiquista Nico Gaitán, uma das grandes transferências da pré-época em Portugal.

O Sporting também quis juntar ‘tarimba’, sobretudo na defesa, adquirindo em Espanha o guarda-redes Adán (ex-Atlético de Madrid) e os defesas Antunes (ex-Getafe) e Feddal (ex-Real Bétis, por três ME), embora Pedro Porro (ex-Manchester City), Pedro Gonçalves (ex-Famalicão) e Nuno Santos (ex-Rio Ave, por três ME) acentuem a juventude dos ‘leões’.

Com tempo para planear a época do início, Rúben Amorim está a equilibrar um plantel composto por vários sub-23 e até juniores e contará com Daniel Bragança (ex-Estoril), ao contrário de Marcos Acuña (transferido para o Sevilha, por 10,5 ME), Jérémy Mathieu (terminou a carreira), Eduardo Henrique e Rodrigo Battaglia, cedidos a Crotone e Alavés, respetivamente.

O desequilíbrio de gastos entre os quatro candidatos às três vagas de acesso possíveis à Liga dos Campeões e os restantes clubes da I Liga continua a ser gritante, apesar da vitalidade expressa pelo Vitória de Guimarães, que resgatou o veterano Ricardo Quaresma e segue as pisadas do Famalicão, ao ‘pescar’ promessas das principais ligas europeias.

Já o investimento de Gérard Lopez alimenta expectativas no Boavista, guiadas pelo talento de Angel Gomes, a experiência do campeão mundial Adil Rami e o conhecimento da realidade lusa do ex-benfiquista Javi García, enquanto o ‘europeu’ Rio Ave foi buscar Ivo Pinto, fez regressar Francisco Geraldes, segurou Gelson Dala e confia nos pés do ‘exótico’ Ryotaro Meshino.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página