loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Gil Vicente: Treinador quer aliar pontos à «qualidade de jogo» ante o Nacional

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O treinador Rui Almeida afirmou hoje que o Gil Vicente quer associar a conquista de pontos à «qualidade de jogo» no embate de domingo com o Nacional, da sétima jornada da I Liga portuguesa de futebol.
Gil Vicente: Treinador quer aliar pontos à «qualidade de jogo» ante o Nacional

Após as derrotas com FC Porto (1-0), Sporting (3-1) e Vitória de Guimarães (2-1) que a ‘atiraram' para o 15.º lugar, com cinco pontos, a equipa de Barcelos deseja encerrar o ciclo de resultados negativos na Madeira, mas sem abdicar do "crescimento" até agora demonstrado de jogo para jogo, de acordo com o técnico.

"Queremos muito ganhar pontos. Queríamos ter mais pontos e merecíamos, pelo que fizemos até agora, mas a justiça no futebol está nos golos. Estamos focados no nosso crescimento. Se não evoluirmos de jogo para jogo, vamos ter problemas no futuro. Tivemos [até agora] resposta para os problemas que nos foram colocando os jogos. Queremos juntar o jogo ao resultado", realçou, na conferência de antevisão ao encontro de domingo, no Funchal, às 15:00.

Rui Almeida considerou que a formação gilista poderia ter, no mínimo, "sete ou oito pontos" no campeonato, mas reconheceu que alguns "erros individuais e coletivos custaram pontos" frente a Sporting e Vitória, desejando melhorias nesse campo já frente à equipa madeirense, que é "taticamente rica".

"Conhecemos muito bem o Nacional. As equipas [treinadas pelo Luís Freire sempre tiveram muito conteúdo, taticamente: já no ano passado o Nacional e, antes, o Mafra eram assim. Eles vão criar-nos problemas, mas mais importante é como lhes vamos criar problemas", frisou.

O treinador dos ‘galos' lamentou ainda o rácio "muito baixo" entre oportunidades de golo e remates certeiros até agora exibido, tendo-se mostrado confiante de que a equipa vai começar a definir melhor os lances nos "últimos 20 metros" do relvado, caso mantenha a "força" com que tem chegado a essa zona do terreno - o Gil Vicente marcou até agora quatro golos, em 68 remates.

"Se [a equipa] tiver bola, gerir bem a bola e criar situações de finalização, o golo vai chegar. Não se vai continuar a falhar cinco golos por jogo. Agora, não podemos baixar o volume ofensivo. Temos de querer mandar no jogo e criar esses momentos de finalização", pediu.

Quanto à defesa gilista, o técnico frisou que os adversários não têm até agora causado "muitos problemas", até porque nenhum criou "cinco, seis ou sete ocasiões de golo" nas seis jornadas realizadas.

Rui Almeida adiantou também que os defesas Henrique Gomes, operado a um tendão de Aquiles, e Guilherme Mantuan, reforço contratado no Brasil para esta época, que chegou a Barcelos com uma lesão, estão na "fase final da recuperação", sendo eventuais opções para o jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal, com o Oleiros, do Campeonato de Portugal, em 20 de novembro.

O Gil Vicente, 15.º classificado da I Liga, com cinco pontos, defronta o Nacional, 10.º, com sete, em jogo da sétima jornada, agendado para as 15:00 de domingo, no Estádio da Madeira, no Funchal, com arbitragem de Fábio Melo, da Associação de Futebol do Porto.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página