loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Crónica: Paços de Ferreira vence Moreirense e apura-se para a Taça da Liga

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O Paços de Ferreira qualificou-se na terça-feira para os quartos de final da Taça da Liga, ao impor-se na deslocação ao Moreirense, por 1-0, num encontro em atraso da sétima jornada da I Liga de futebol.
Crónica: Paços de Ferreira vence Moreirense e apura-se para a Taça da Liga

Em Moreira de Cónegos, o golo solitário de Douglas Tanque (10 minutos) ofereceu o terceiro triunfo consecutivo dos ‘castores’ no campeonato e ditou um embate com o FC Porto na prova mais jovem do futebol profissional, a disputar de 15 a 17 de dezembro.

O Paços de Ferreira subiu ao quinto lugar, com 14 pontos, enquanto o Moreirense, cujo surto de covid-19 levou ao adiamento desta partida, originalmente marcada para 07 de novembro, desceu ao 13.º posto, com oito pontos, um acima da zona de despromoção.

Com processos mais consolidados, a formação de Pepa repetiu os titulares da vitória sobre o Famalicão (2-0) e denotou uma entrada autoritária e eficaz, focada em assumir a iniciativa do jogo, tendo agitado o marcador logo na primeira oportunidade do encontro.

Aos 10 minutos, Luther Singh deu continuidade à subida em profundidade pela esquerda de Oleg, que cruzou para o cabeceamento de Douglas Tanque, dedicado pelo avançado brasileiro ao ex-treinador pacense Vítor Oliveira, que morreu no sábado, aos 67 anos.

O revés madrugador instabilizou o conjunto de César Peixoto, que trocou Steven Vitória por Ferraresi no jogo de estreia em Moreira de Cónegos, sem desfazer uma linha defensiva de cinco unidades adotada na derrota frente ao líder Sporting (2-1).

À procura de entrosamento coletivo, os minhotos demoraram a calibrar a definição no último terço, como expressou a receção imperfeita de André Luís aos 32 minutos, desmarcado na área por Gonçalo Franco, e apenas geraram perigo antes do intervalo.

Num raro momento de superação do Moreirense face ao bloco pressionante do Paços de Ferreira, Afonso Figueiredo ganhou espaço na esquerda aos 44 minutos e cruzou na direção de André Luís, que desviou para uma defesa apertada de Jordi junto ao poste.

Ato contínuo, o lateral esquerdo cobrou um pontapé livre descaído para a direita e Lazar Rosic dominou a bola ao segundo poste, mas errou o alvo, num duplo susto sem consequências para o bloco compacto, organizado e pressionante dos ‘castores’.

Os ‘cónegos’ tentaram incutir maior consistência entre setores no reatamento para alcançar outro poder de desequilíbrio ofensivo, mas sentiram dificuldades de progressão, à exceção de investidas inofensivas de André Luís (53 minutos) e Walterson (72).

César Peixoto envolveu mais gente no ataque, mas Pepa foi encontrando o antídoto para neutralizar a crença vimaranense, recuperando algum atrevimento em remates seguidos de Bruno Costa e Oleg, aos 63 minutos, ambos defendidos por Mateus Pasinato.

Apesar de a entrada na Taça da Liga estar à distância de três golos, o Moreirense subiu linhas nos minutos finais em busca de um ponto, mas a reação encheu-se de timidez e viabilizou o regresso do Paços de Ferreira às vitórias no seu estádio sete anos depois.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página