loading

Nota: Caro visitante, o acesso à informação do nosso site é gratuita e de livre acesso. Tal só é possível exibindo anúncios a quem nos visita. Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Covid-19

Nacional: Luís Freire quer vencer e dar uma prenda ao clube que vai comemorar 110 anos

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O técnico do Nacional mostrou-se hoje confiante na antevisão da partida com o Santa Clara, da nona jornada da I liga, acreditando que o seu conjunto "irá vencer", perante uma "equipa com matreirice".

Luís Freire sente-se esperançado para esta partida frente à formação açoriana, embora ciente das dificuldades que terá pela frente.

"Sinto-me com confiança para este jogo. É contra um adversário que conhecemos, mas que tem uma larga experiência e que tem feito bons campeonatos ultimamente. Tem um núcleo de jogadores com muitos anos de clube, com qualidade individual e um treinador experiente", afirmou, reconhecendo que será um oponente que "colocará muitos desafios".

O técnico nacionalista diz que a sua "equipa tem sido competente em muitos jogos", e por jogar em casa o Nacional "quer vencer e ficar na primeira metade da tabela", sublinhando que sente que os jogadores estão com "ambição e vontade de regressar às vitórias".

Luís Freire analisa positivamente a prestação da sua equipa até ao momento: "Temos sido uma agradável surpresa e queremos confirmar e fazer 13 pontos, que nos deixará confortáveis na tabela".

De fora das opções para esta partida encontram-se os laterais direitos Kalindi e Rúben Freitas a recuperar das respetivas lesões, bem como Júlio César que irá cumprir castigo por ter visto o carão vermelho, por acumulação de amarelos, na partida frente ao Portimonense.

Luís Freire acha que quem jogar "vai estar à altura do desafio", afirmando acreditar nos "jogadores e nas soluções" que tem ao seu dispor.

Ao longo da semana houve alguma polémica face à perda da braçadeira de ‘capitão’ por Rúben Micael, mas Luís Freire desvaloriza essa situação.

"Foi decidido que o melhor para criar um grupo forte, era rodar a braçadeira", disse, tendo como objetivo "criar líderes dentro do grupo".

O Nacional comemora na próxima terça-feira 110 anos de existência, um clube que Luís Freire reconhece "ter uma história imensa, já com muitas presenças europeias" e uma vitória seria o corolário de "uma data sempre importante".

O Nacional, sétimo com dez pontos, recebe domingo no Estádio Madeira, no Funchal, a partir das 15:00, o Santa Clara, oitavo, também com dez pontos, em partida relativa à nona jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrada por Vítor Ferreira da AF de Braga.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página