ESC ONLINE

Crónica: Guimarães fecha ciclo negativo com triunfo sofrido sobre o Santa Clara

Últimas Notícias

Notícias Mais vistas

Sondagem

Após os primeiros jogos das competições nacionais e internacionais, quem está em melhor forma?

O Vitória de Guimarães encerrou hoje uma série de cinco derrotas consecutivas na I Liga portuguesa de futebol, ao vencer o Santa Clara por 1-0, num encontro da 27.ª jornada com maior ascendente açoriano.
Crónica: Guimarães fecha ciclo negativo com triunfo sofrido sobre o Santa Clara

De regresso ao ‘onze', por troca com André Almeida, o extremo Rochinha marcou o único golo do desafio aos 17 minutos, numa recarga certeira a um ‘disparo’ de Marcus Edwards ao poste, decidindo um jogo no qual os homens de Ponta Delgada ganharam mais duelos e tiveram maior volume ofensivo, mas com poucas ocasiões de golo, face aos erros na tomada de decisão.

O primeiro triunfo às ordens do treinador Bino Maçães permitiu ainda ao Vitória cimentar o sexto lugar, com 38 pontos, e adiantar-se na luta pelas competições europeias face à equipa da ilha de São Miguel, sétima classificada, com 35, e ao Moreirense, que hoje perdeu na receção ao Tondela, por 3-2, e permanece no oitavo posto, com 34.

Apesar da perda de bola defensiva, que poderia ter causado maiores ‘danos' ao minuto três, quando Óscar Estupiñán rematou à figura de Marco, a equipa açoriana quis entrar a ‘mandar' no jogo, circulando a bola no meio-campo vitoriano e ameaçando o golo pela primeira vez ao minuto 15, quando Hide Morita foi incapaz de contornar Bruno Varela.

De novo num sistema tático de 3x4x3, os anfitriões tentaram privilegiar os lançamentos longos para Estupiñán ou as iniciativas individuais dos extremos, com uma delas a valer o golo inaugural, aos 17 minutos.

Marcus Edwards progrediu pela direita, rematou ao poste e a bola tabelou no açoriano Mansur, sobrando para o remate de primeira, certeiro, de Rochinha, jogador que substituiu André Almeida no ‘onze' inicial e que marcou o seu quinto golo no campeonato.

A reação do conjunto treinado por Daniel Ramos foi pronta, com Carlos Júnior a falhar a emenda decisiva para a igualdade na pequena área, ao minuto 19, e Rui Costa a rematar forte para intervenção do guardião vitoriano, aos 22.

O Santa Clara manteve o ascendente até ao intervalo, mas com dificuldades em criar novas ocasiões de golo, entre períodos nos quais o Vitória manteve a posse de bola, ainda que em terrenos recuados.

A toada da primeira parte manteve-se na segunda, com os jogadores insulares a exibirem maior volume ofensivo e a introduzirem até a bola na baliza vimaranense, por Rui Costa, após falha clamorosa de Abdul Mumin, mas em fora de jogo, ao minuto 52.

O Santa Clara chegou com alguma facilidade às imediações da área contrária, fruto da incapacidade vimaranense para impedir as progressões adversárias pelo corredor central, e voltou a ameaçar o empate aos 65, novamente por Rui Costa, mas, três minutos volvidos, a equipa minhota perdeu uma ocasião clara para dilatar o resultado, com Marcus Edwards, isolado, a atirar ao lado.

A qualidade do desafio caiu nos 20 minutos finais, com os pupilos de Daniel Ramos instalados no meio-campo vimaranense, mas sem ‘arte’ para desequilibrar a retaguarda vimaranense e criar ocasiões que pudessem valer o empate.

Siga-nos no Facebook e no Twitter.

Relacionadas

Pode gostar de ler

Na Primeira Página